Gerana Costa: “Os planos são de reconstruir o município de Riachão”

Em entrevista exclusiva ao caderno municípios do Jornal da Cidade, a prefeita do município de Riachão do Dantas, Gerana Costa (PT do B), fala sobre os desafios à frente da administração. entre outros assuntos, ela esclarece a polêmica em torno do transporte escolar dos alunos da rede pública municipal de ensino. “a polêmica que envolve os transportes dos universitários, que não é da competência do município, foi regulamentado pela primeira vez através de um decreto, onde prioriza as condições socioeconômicas dos referidos estudantes, priorizando 98 alunos, em virtude de possuirmos apenas dois veículos disponíveis em nossa frota”.

w JORNAL DA CIDADE – Quais os efeitos que a administração da prefeita Gerana Costa tem surtido na cidade desde o primeiro dia de mandato? 

GERANA COSTA – Creio que efeitos positivos, vistos por toda população, com melhorias nas áreas de saúde, educação, limpeza e obra públicas; organização dos prédios públicos, bem como do sistema administrativo. 

w JC – Quais as obras que a senhora destacaria no município?

GC – Vamos enumerar algumas que acho de suma importância para a população:

1ª – Recuperação física e estrutural do Hospital Dona Caçula, essa estabelecida nos primeiros dias de mandato em sua plenitude;

2ª – Reformas executadas em quinze unidades escolares feitos com Recursos Próprios e com os servidores do município, dando a dignidade tão necessária aos nossos estudantes;

3ª – Restauração da iluminação elétrica de todo município, observo que são trinta e três povoados mais a sede; 

4ª – Melhorias das estradas que dão acesso a todos os povoados;

5ª – Restabelecimento da limpeza pública na sede e em todos os povoados;

6ª – Reorganização das praças da sede: Praça Nossa Senhora do Amparo, Praça Epifânio Goes, Praça da Delegacia; incluindo a praça da igreja do Povoado Tanque Novo. Simplicidade e pequenos reparos que embelezam nossa cidade; 

7ª – Construção dos banheiros do ginásio poliesportivo, que não existiam;

8ª – Término da UBS do Povoado Bomfim;

9ª – Abertura de um posto de saúde no Povoado Cruz de Palmares;

10ª – Reforma dos postos de saúde dos povoados Palmares, Vivaldo e Volta, bem como das UBS’S da Sede e do Povoado Tanque Novo com Recursos Próprios e servidores municipais;

11ª – Reforma do CAPS;

12ª – Reforma geral do mercado do Povoado Bomfim também com Recursos Próprios;

13ª – Reformas nos mercados Talho de Carne e da Farinha, localizados na sede do município, bem como o do Povoado Palmares;

14ª – Reforma geral da Biblioteca do SESI.

w JC – Em áreas como indústria e comércio, essenciais para o crescimento da economia do município, o que está sendo feito?

GC – Nosso município não é, ainda, um município industrial, mas estamos aptos a receber futuros projetos que são imprescindíveis para o desenvolvimento da economia local. Observamos que os sinais dessa nova gestão já influenciaram positivamente no comércio local. Vale ressaltar que nossa maior fonte de renda vem da agricultura familiar, essa está de vento e poupa, tornando Riachão do Dantas o maior produtor de abacaxi do Estado. Essa é a nossa principal fonte de economia.

w JC – Na Saúde e Educação, quais os investimentos que a Prefeitura de Riachão têm feito para melhorar a vida da comunidade?

GC – Saúde: Ampliamos as ações em saúde através e um gerenciamento das equipes de PSF, do bom funcionamento do nosso hospital, que hoje atende mensalmente em torno de três mil pessoas, inclusive dos municípios vizinhos, com Recursos Próprios, visto que o convênio firmado com o governo do Estado não faz o devido repasse desde janeiro de 2017. Observamos ainda que criamos um Centro de Especialidades, onde ampliamos nossa demanda em atendimento em saúde, também feita com nossos recursos. Riachão hoje conta com um Centro de Especialidades em cardiologia, pediatria, genecologia, psiquiatria e psicologia, levando à comunidade mais de mil atendimentos. Também ampliamos mais de seiscentas e oitenta consultas, fora do Sistema Único de Saúde;

– Ampliamos o valor destinado aos nossos exames laboratoriais para onze mil reais atendendo a demanda dos nossos munícipes; 

– Conseguimos, com Recursos Próprios do município, o exame de ultrassonografia garantindo o atendimento da nossa comunidade;

– Na saúde bucal possuímos três equipes que atendem todo o município, fortalecendo a acolhida as nossas comunidades;

– Diminuímos o índice de infecção do Aedes Aegypti em nosso município, que se encontrava altíssimo em nosso município em janeiro de 2017, através de um dos nossos projeto, intitulado “Xô Mosquito! ” que foi escolhido para ser apresentado na Mostra Brasil em julho de 2017, em Brasília – DF;

– O TFD – Tratamento Fora de Domicílio tem destinado total atenção e acolhida necessária nessa difícil trajetória que tem passado alguns de nossos munícipes; 

Na Educação podemos ressaltar que grandes passos foram dados:

– Pegamos o município com trinta e três unidades escolares, algumas fechadas e outras sucateadas. Já concluímos com Recursos Próprios, a reforma de quinze unidades escolares em todos seus aspectos estruturais, dando assim uma melhor condição de estudo e ensino aos nossos alunos e professores;

– Reciclamos mais de mil carteiras escolares;

– Temos uma merenda escolar de qualidade superior, diferente da encontrada, hoje os alunos podem contar com uma verdadeira refeição em seus dias letivos;

– Vale ressaltar que, referente ao número de matrícula, observamos que encontramos um baixo número de alunos matriculados na rede municipal de ensino, um total de 3.616. No primeiro semestre ampliamos para 4.022 o número de alunos matriculados, uma diferença de 406 estudantes. Há muita coisa a ser feita na educação, essa pasta tão importante para o futuro do nosso país;

– Quanto aos professores, encontramos os mesmos sem receber o salário de dezembro de 2016, já estamos pagando a oitava parcela referente ao mesmo. A folha está em dias, apesar dos problemas, estamos pagando uma parte do décimo no mês de aniversário do servidor como também as férias. Observo que ainda não conseguimos junto ao Sintese um diálogo conciso, visto que neste momento a proposta enviada do piso não foi aceita. Estamos a esperar, por parte do Sintese, um estudo de viabilidade, onde mostre que o município pode arcar como reajuste de 7%, solicitado pelo mesmo. Foi enviado para a Câmara de Vereadores, um projeto de lei onde pleiteamos dar o piso aos professores de níveis 1 e 2 que não o possuem. Continuaremos as negociações com o Sintese para garantir que nenhum professor seja prejudicado. 

w JC – Como está a questão do transporte escolar dos alunos da rede pública de ensino? O transporte foi regularizado?

GC – Vale ressaltar que o transporte escolar que compete ao município é o do Ensino Fundamental (1º ao 9º ano). Esse como gestora, posso garantir que não há, em nenhuma localidade do município, se quer um aluno que não esteja utilizando o transporte para o acesso escolar, mesmo o de localidades mais longínquas. Observo também que a polêmica que envolve os transportes dos universitários, que não é da competência do município, foi regulamentado pela primeira vez através de um decreto, onde prioriza as condições socioeconômicas dos referidos estudantes, priorizando 98 alunos, em virtude de possuirmos apenas dois veículos disponíveis em nossa frota e que conduzem os estudantes, aptos pelo decreto, para as universidades, faculdades e cursos profissionalizantes para Aracaju, Lagarto e Paripiranga de forma gratuita. Assim, ressaltamos que, diante de uma divida deixada de mais 50 milhões, que já começou a ser paga e que está levando o município a cortes e a priorizar o que de fato é de sua responsabilidade, é que suspendemos a contratação dos dois ônibus que serviam as duas linhas de Aracaju e Paripiranga, para priorizar e regularizar nossos pagamentos do município. Sendo substituídos pelos dois micro-ônibus disponíveis. Se temos que fazer opções, que seja pelos menos favorecidos.

w JC – Como está a relação da Prefeitura de Riachão com o Governo do Estado?

GC – Respeitamos o governador Jackson Barreto, pessoa que temos uma simpatia mútua, mas expressamos o total abandono do município de Riachão do Dantas por parte do Governo do Estado, principalmente no que se refere ao repasse destinado ao Hospital Dona Caçula, que até a presente data, desde janeiro de 2017, não foi realizado. 

w JC – No legislativo, como os vereadores veem a gestão da prefeita Gerana? Existe uma boa relação entre a prefeitura e a câmara?

GC – No legislativo do município contamos com uma bancada composta por sete vereadores, ou seja, a maioria. Que nos dão suporte de forma ética em prol do nosso município. Aproveito e agradeço a todos pelo empenho dirigido a esta gestão!

w JC – Existe alguma parceria com o governo estadual ou federal, e projetos em andamento?

GC – Sim! O governo federal através dos deputados federais André Moura, Laércio Oliveira, Valadares Filho e Fábio Reis, como também pelos senadores Eduardo Amorim e Valadares Filho. Esses tiveram compromisso com Riachão do Dantas, destinando emendas que muito beneficiarão o nosso município em diversas áreas: calçamentos, portal da cidade, creches, incremento do PAB entre outras partes da estrutura municipal.

w JC – Quais os planos futuros da atual gestão do município?

GC – Os planos são de reconstruir o município de Riachão do Dantas, onde as estruturas básicas primordiais a uma comunidade sejam levadas a todos como dignidade, respeito e igualdade, principalmente com a nossa maior camada de habitantes: os mais carentes. Acredito que quando se tem amor e compromisso, fazer o muito por esse povo que aprendi a amar e respeitar. 

5 COMENTÁRIOS

  1. Tirando o direitos do universitários dos taxistas dos pessoal q não tem terra, professor sem receber, só promessas, pior da historia, uma funcionaria do povo praticando abuso de poder

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here