Na tarde dessa quarta-feira (3), o secretário da Saúde de Sergipe, Almeida Lima, se pronunciou em relação ao desaparecimento do corpo de um bebê na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, em Aracaju (SE).

Ele relembrou que a maternidade já tinha prestado um Boletim de Ocorrência na 8ª Delegacia Metropolitana, em Aracaju, ao ter percebido que havia uma troca de corpos no momento da entrega no necrotério da unidade de saúde, para o caso ser apurado pela Polícia Civil.

Almeida Lima disse que a sindicância interna concluiu que, como no dia 23 de dezembro foram registradas três corpos de crianças no necrotério, sendo uma de parto normal e outras duas de parto duplo, no momento da liberação dos corpos um funcionário fez a troca dos corpos dos bebês.

“No dia 27, a mãe dos gêmeos foi retirar os corpos e houve um engano de servidor da maternidade, que entregou apenas um dos gêmeos e o outro de parto singular. Evidente que no dia 30, quando a outra mãe foi à procura para receber o corpo do filho não encontrou”, disse o secretário.

Exumação

O secretário disse ainda que procedimentos, como exumação ou exames de DNA, representam providências de esfera judicial e ficam a cargo do Poder Judiciário. No entanto, considera que a ocorrência não pode ser considerada no âmbito da normalidade.

Entenda o caso

A família de um bebê que morreu de forma prematura, durante um parto, realizado no dia 22 de dezembro, na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, em Aracaju, passou o fim de semana tentando localizar o corpo da criança para fazer o velório e sepultamento.

Segundo a família, após receber a notícia da morte, a documentação para o enterro foi providenciada, mas desde então a maternidade não sabia explicar onde foi parar o corpo do bebê. Familiares confirmaram que um Boletim de Ocorrência sobre o caso já foi registrado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here