Cesarina Maria dos Santos, conhecida como Dona Teté, nasceu em 12 de janeiro de 1938. Natural do Povoado Pastinho município de Simão Dias, Dona Teté passou grande parte da sua infância em Lagarto, pois seu pai trabalhava na cidade, até que  casou-se e veio morar em definitivo aos 18 anos.

Desde muito cedo aprendeu os dotes culinários, a arte do trabalho artesanal, a arte das danças e passou a se dedicar aos trabalhos sociais, além de ajudar seu esposo no sustento do lar.

Quando veio morar em Lagarto, Dona Teté foi a primeira residente do Conjunto Laudelino Freire e quando novos moradores foram chegando, ela com seu espírito de liderança, conduziu a comunidade e realizou diversos eventos de segmento religioso e cultural que fortaleceram a relação social dentro da comunidade e até os dias atuais o conjunto é estimado no município. 

Foi uma das fundadoras do Centro da Mulher e através desse centro resgatou o grupo de Taieiras, montou o grupo de reisado, fortaleceu e consolidou fazendo-o permanecer ativo até os dias atuais, quase 60 anos depois.

Através do grupo de Taieiras, Dona Teté representou a cidade de Lagarto em diversas regiões do País, sendo homenageada como a rainha do folclore sergipano em Olímpia/SP, no Encontro de Mulheres do Nordeste em Caruaru, dentre outros.

Também foi uma das fundadoras da Associação Acássia Ribeiro e do Centro do Idoso. Durante seus 80 anos de existência, Dona Teté foi dedicada a valorização da cultura regional, ao bem estar social e se tornou uma grande mentora da arte da dança, de trabalhos artesanais com cerâmica, tecido e uma doceira de mão cheia.

Hoje, com 80 anos, Dona Teté continua inspirando. Apesar da idade, ainda se apresenta ocasionalmente sempre que é homenageada.

E sendo uma referência de mulher na comunidade, matriarca da família, não podia ser diferente, também inspirou uma de suas filhas e esta atualmente desenvolve um projeto onde descreve toda a trajetória da mulher na sociedade, intitulado como “Museu da Mulher”. Projeto esse que além de preservar a cultura regional, homenageia grandes mulheres ao longos dos anos. 

Dona Teté e sua filha Dina no Lançamento do livro “Museu da Mulher”

Hoje, comemorando seus 80 anos, essa guerreira lagartense é mais que feliz por contribuir grandemente com a cultura lagartense.

 

 

 

 

1 COMENTÁRIO

  1. É com imenso prazer e orgulho por vocês conterranio abordar uma pessoa com tanta bagagem em sua historia Dona TETE minha Mãe EM um BLOG preenchendo conteúdos .por isso agradeço brigado site lagartense por essa oportunidade brigado

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here