O vereador Ibrain Monteiro, PTC, presidente da Câmara Municipal de Lagarto, diz que se engana quem acha que ele tentará um mandato de deputado estadual este ano apenas pela condição de ser filho do prefeito da maior cidade genuinamente do interior de Sergipe.

Ele garante que tem uma agenda própria e positiva para a Alese em 2019. “Claro que estou levando nesta jornada uma boa bagagem do meu pai, que foi um ótimo deputado estadual, foi e está sendo um bom prefeito de Lagarto, mas levo as minhas bandeiras próprias”, justifica o pré-candidato, fazendo referência a Valmir Monteiro.

“Pretendo carregar para a Alese, como projetos de mandato, as questões da segurança pública, da saúde, da educação e do desenvolvimento econômico regional. Serão quatro focos do meu mandato, porque não esquecerei da necessidade de um maior desenvolvimento industrial de Lagarto e dos municípios do centro-sul”, aponta ele

“Desde já, uma questão na esfera da indústria me preocupa: o gás industrial, que não temos. Nosso futuro mandato trabalhará por esta parte do desenvolvimento e vamos exigir o gás industrial para Lagarto, assim como merece uma cidade do porte de Itabaiana. Claro que se um empresário tem intenção de montar uma indústria em Lagarto e percebe que daqui a mais 50 quilômetros tem gás canalizado, ele vai preferir esse outro lugar”, diz Ibrain. 

Ibrain Monteiro garante que o projeto político dele está sendo bem compreendido no âmbito estadual. “Estamos caminhando demais, com uma agenda cheia, somos sempre bem recepcionados, com as lideranças regionais nos recepcionando muito bem”, diz.

Ele revela quem tem relacionamento hoje com 28 municípios sergipanos, incluindo, óbvio, Lagarto, que é a sua base. “Eu diria que a maioria, cerca de 90% são ex-prefeitos e vereadores. De prefeito mesmo, estou esperando a decisão do de Salgado, Duílio Siqueira”, diz.

Vereador de primeiro mandato, mas acostumado aos bastidores dos mandatos do pai, Ibrain Monteiro é racional. “Isso não me dá uma garantia de eleição. Tenho que trabalhar mais. O nosso planejamento hoje o é de angariar uma quantidade boa de votos para completar com o que teremos em Lagarto”, diz.

“Eu tenho pés nos no chão, faço sempre conta por baixo. Se a liderança se compromete a produzir 500 votos, a nossa contabilidade está faturando de 150 a 200. No máximo 300. Não é desconfiança. É cuidado para não ser surpreendido. Mas estou muito confiante”, revela. 

Ibrain se recusa a fazer cálculo de votos futuros. Acha que não é prudente. Mas admite intenção de sair de Lagarto com 15 mil, e fazer a complementação nas demais localidades do Estado. Aposta muito na dobradinha com o pré-candidato a deputado federal Gustinho Ribeiro. Ibrain tem 35 anos e diz que “está o pé no PSC”.

Fonte: Ascom do Parlamentar

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here