O delegado Fernando José já remeteu o caso dos corpos dos bebês trocados na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes à justiça. Um laudo com exame de DNA para saber a quais famílias pertenciam os bebês estava sendo aguardada.

De acordo com o delegado, o exame não conseguiu identificar um dos corpos por causa do estado avançado de decomposição. Entretanto, identificou os materiais genéticos dois irmãos gêmeos e, assim, conseguiu atestar a quem pertencia cada um deles.

Os três corpos permanecem no Instituto Médico Legal (IML) para que sejam retirados e sepultados pelas famílias.

Bruno Sotero, pai do bebê que não foi encontrado no necrotério, disse que ele e a família receberam a notícia da não identificação com tristeza. “Quem garante que é o corpo do meu filho? Iremos fazer o sepultamento apenas por consideração a ele”, lamenta. Bruno também informou que irá até a delegacia para receber o documento que possibilitará a retirada do corpo do IML.

Portal Infonet também tentou falar com a família dos bebês gêmeos, mas não obteve êxito. Já a Secretaria de Estado da Saúde (SES) disse que somente se manifestará sobre o caso em juízo.

Entenda

No dia 23 de dezembro, a maternidade deu entrada em seu próprio necrotério três corpos, um oriundo de parto singular, de um feto de cinco meses, e dois irmãos gêmeos. Os pais dos dois irmãos receberam um deles e o feto que nasceu sozinho, de outra mãe. Quando a família desse outro bebê foi retirar o corpo do necrotério, foi informada que ele já não estava mais lá.

Um boletim de ocorrência foi prestado pela SES na 8ª Delegacia de Polícia Civil e, no dia 19 de janeiro, os corpos dos dois bebês entregues à família dos gêmeos foram exumados [desenterrados] para que fossem realizados os exames de DNA através dos corpos dos bebês e das famílias.

Fonte: Infonet

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here