Após sete dias desde o início da paralisação de caminhoneiros em todo o País contra o aumento do combustível, alguns trechos em determinadas rodovias permanecem com tráfego lento em função dos protestos.

Na Autopista Régis Bittencourt, que liga São Paulo (SP) a Curitiba (PR), há lentidão entre os km 280 e 279, sentido norte devido a manifestações.

Do km 277 ao km 278, em Embu das Artes (SP), sentido sul, também há trechos de congestionamento em função dos protestos. No trecho que compreende os km 68 e 67 da região de Campina Grande do Sul (PR), sentido norte (SP), também há lentidão. Também foram registrados trechos de congestionamento devido aos protestos entre os km 385, na região de Miracatu (SP), sentido sul (PR).

A rodovia Fernão Dias, que liga São Paulo a Minas Gerais, também possui pontos de manifestação nas primeiras horas da manhã deste domingo (27). São 17 pontos de lentidão em diferentes quilômetros da rodovia.

Há registro de congestionamento no km 949, em Extrema, km 925, em Itapeva, kms 691, 692, 702, em Lavras, kms 677, 680, 682, em Perdões, km 589, em Carmópolis de Minas, km 618 de Oliveira, km 754 em Três Corações, km 485, em Betim, km 507, em São Joaquim de Bicas, km 513 em Igarapé, km 734, em Carmo da Cachoeira, km 796, em São Gonçalo do Sapucaí e km 871, em Pouso Alegre.

A rodovia Anchieta, que liga São Paulo ao litoral sul do Estado, tem um  ponto de manifestação de caminhoneiros na região do Planalto. A categoria bloqueia o acostamento do km 23 ao km 25, no sentido litoral. Segundo a Ecovias, concessionária que administra a estrada,  informa que não há reflexos no tráfego.

Os acessos ao porto de Santos, tanto pela cidade como pelo Guarujá, seguem bloqueados.

O último balanço da Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgado na noite de sábado, 26, mostrava que ainda havia 586 bloqueios em rodovias brasileiras e 577 pontos tinham sido desbloqueados. A greve dos caminhoneiros chega ao sétimo dia neste domingo, 27.

No início da manhã de sábado, eram 387 pontos bloqueados e 132 liberados. Mas no decorrer do dia, a PRF apresentou novos índices. No início da tarde, a PRF informou que o número de pontos de manifestações identificados em rodovias federais tinha aumentado de 938, registrados na sexta, 24, para 1.140.

Desse total de 1.140 identificados, 544 pontos foram liberados ainda no sábado. Entretanto, o número de pontos que continuavam bloqueados, ainda que parcialmente, de sexta para sábado aumentou, de 519 para 596 – ou 52% do total de trechos com alguma manifestação. Segundo a PRF, esse número tem alta toda vez que há uma dispersão, pois grupos tendem a se espalhar e acabam interferindo em outros pontos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here