Com o início do mês junino cresce o alerta para os cuidados contra lesões por queimaduras. Essa é a época do ano em que as pessoas costumam acender fogueiras, preparar alimentos típicos da época e soltar fogos, o que eleva o risco de acidentes. Aqui no Estado, o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) conta com um setor especializado no atendimento às vítimas, que é a Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ), referência em atendimentos de média e alta complexidade.

O setor funciona 24 horas, com 14 leitos, sendo 4 pediátricos e 10 adultos, e conta com uma equipe multidisciplinar, além de cirurgiões plásticos, enfermeiros, clínicos e pediatras. Para se ter uma ideia, no ano passado foram registrados no mês de junho 86 vítimas de queimaduras no Huse, a maioria por fogos de artifício. Pensando em reduzir os números, a cirurgiã plástica, Moema Santana, faz um alerta sobre os cuidados e as medidas que devem ser adotadas, caso aconteça uma queimadura.

“As pessoas que sofrem uma queimadura deve tomar alguns cuidados que são fundamentais para que a lesão não piore. Primeiro é resfriar o local da queimadura com água corrente por aproximadamente dez minutos, envolver a região ferida com pano seco e limpo e levar a pessoa para o hospital mais próximo. Outra questão importante é não utilizar produtos caseiros sobre o ferimento porque isso pode agravar a lesão. A calma deve prevalecer para que os primeiros socorros sejam iniciados”, disse.

Ela informou ainda os cuidados com queimaduras em crianças. “Com as crianças os cuidados devem ser redobrados, seja nas queimaduras de primeiro, segundo ou terceiro grau, pois elas são grandes vítimas nesse período, seja com líquidos aquecidos, uso de fogos de artifício, substâncias químicas e quedas em fogueiras. Ter um adulto supervisionando as brincadeiras dos pequenos é muito importante”, ressaltou a médica.

É recomendado que os adultos, principalmente aqueles que trabalham na fabricação dos fogos, só manuseiem o material com os Equipamentos de Proteção Individual (EPI). O contato constante aumenta a probabilidade de sofrer uma queimadura. Já os usuários dos fogos devem estar equipados com luvas grossas de pano, camisas de manga longa e calças jeans. Em casa, o cuidado também é necessário: utilizar luvas ao manipular líquidos ou comidas quentes e afastar as crianças da cozinha no momento da preparação desses alimentos.

Sala de queimados

Todos os anos, o Pronto Socorro do Huse se prepara para o período junino e com a finalidade de garantir agilidade na assistência, a equipe monta uma sala exclusiva para assistência imediata às vítimas de queimaduras e serve de apoio à UTQ. O coordenador do Pronto Socorro do Huse, Vinícius Vilela, explica como vai funcionar a sala de queimados. “Como protocolo, todos os anos no período junino é montado um esquema para poder dar o suporte aos possíveis queimados que chegam no hospital. Do dia 21 ao dia 30 será montada a sala de queimados, uma sala específica com a equipe da plástica e enfermagem a parte, com todos os materiais específicos para poder dar o suporte imediato e não misturando os perfis de pacientes. É um local preparado para as vítimas de queimaduras que nessa época chega a um aumento de 50% de vítimas de queimaduras”, revelou.

Além da sala de queimados, a Ala D disponibiliza 4 leitos do setor de internamento da unidade hospitalar. Essa área terá a finalidade de diminuir os riscos de infecção no paciente lesionado por queimaduras. O paciente queimado ficará isolado, aguardando ser encaminhado para a UTQ. Essa estratégia é montada até o final do mês de junino.

Fonte: SES

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here