Não é todo dia que uma ação coordenada de políticos de matizes diferentes se harmoniza para gerar benefícios coletivos em favor de um Estado e do seu povo.

Nesta segunda-feira, 11 de junho, um fato dessa magnitude se materializou com a classe política de Sergipe, fazendo valer o poder da unidade dela, mesmo entre os opostos.

A passagem do ministro da Saúde do Brasil, Gilberto Occhi, pelo Estado, deixando aqui R$ 56.873.247,00 para o custeio do Sistema Único de Saúde no Estado, e para outras atividades municipais, foi bastante simbólica nesse aspecto.

Os recursos em questão são frutos de uma emenda coletiva – dos 11 parlamentares que representam o Estado, três senadores e oito deputado federais. Foram articulados por Jackson Barreto, então governador.

Na semana passada, um desses 11, o federal Laércio Oliveira, PP, foi até o ministro Occhi e pediu a ele que ajudasse a desbloquear os recursos. Occhi, que é do mesmo PP de Laércio e já foi superintendente da Caixa Econômica em Sergipe, não negou-se.

De lá mesmo do Ministério da Saúde, Laércio ligou para Belivaldo e, em tom de humor, lhe perguntou se ele queria R$ 50 milhões. Belivaldo disse que sim, e contou esse episódio com muita descontração. Ali mesmo acertaram a vinda de Occhi ao Estado.

Ainda sob descontração e diplomacia, em seu discurso o governador citou nominalmente os 11 sergipanos do Congresso. Em agradecimento. Ali estavam dois deles – Laércio Oliveira e Fábio Reis. Ambos falaram.

Gilberto Occhi disse que até o final do mês esses recursos estariam em Sergipe, sem faltar nenhum centavos. Belivaldo, novamente humorado, disse que seria bom que não faltasse mesmo, porque nessa crise “não se pode perder nem centavos”.

“Essa verba servirá de reforço para melhorar as condições de atendimento nas nossas unidades hospitalares. A rede como um todo vai sair beneficiada”, constatou ele. Ao final do seu discurso, o govenador entregou uma caneta luxuosa a Gilberto Occhi. Objetivo: para que com ela ele assine mais atos que beneficiem Sergipe.

Desses R$ 56.873.247,00, R$ 50.873.247,00 ficarão com o Governo do Estado. Porque R$ 6 milhões vão para o município de Nossa Senhora do Socorro. “Esses recursos são de muita serventia para o município nesta hora”, festejou o prefeito da cidade, Padre Inaldo.

Os hospitais conveniados com o Estado devem ficar felizes com a decisão. “Os R$ 50,8 milhões vão direto para o Governo do Estado, para que ele possa fazer repasse para os hospitais com os quais tem contrato. Eu quero ressaltar que além de ser um apoio do Governo Federal, essa é uma decisão de todos os deputados e senadores que destinaram de suas emendas impositivas a uma emenda da bancada de Sergipe para a Saúde”, reconheceu o ministro. 

“Essa ajuda é de grande importância. Num momento de dificuldade pelo qual estamos passando, poder receber esse recurso para o custeio é uma ajuda significativa. Chegou na hora certa e será investido, principalmente, nos hospitais regionais”, constatou Valberto de Oliveira Lima, o secretário de Estado da Saúde.

O ministro também assinou o termo de doação de veículos caminhonetes a seis municípios sergipanos. As caminhonetes serão destinadas ao trabalho no combate a endemias nos municípios de Campo do Brito, Ribeirópolis, Propriá, Santana de São Francisco, Santo Amaro das Brotas e Canhoba. O investimento do Ministério da Saúde nos veículos é de R$ 656.400,00 – e foi possível graças a uma emenda do deputado Laércio Oliveira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here