O fluxo de acolhimento, classificação e atendimento na porta de entrada do Hospital Universitário de Lagarto (HUL-UFS) passa a ser gerido a partir de agora por um enfermeiro lotado no setor de Acolhimento e Classificação de Risco. A presença desse gerente de fluxo de atendimento, nos três turnos, 24 horas por dia aprimora a recepção aos usuários da unidade hospitalar.

“Agora temos enfermeiro nesse setor 24 horas por dia para acolher os usuários”, observa Luana Dantas, chefe da Divisão de Enfermagem. “E já contamos também com técnico de enfermagem na recepção para um primeiro contato com cada um dos pacientes, escutando suas principais queixas, verificando os sinais vitais (pressão, temperatura, pulso arterial, glicemia e nível de oxigenação do sangue) e possíveis sinais de agravamento, para depois serem encaminhados para o devido atendimento pelo enfermeiro da classificação de risco”, explica.

O Acolhimento com Classificação de Risco é a forma adotada pelo hospital para classificar o usuário que procura a unidade hospitalar de acordo com o Protocolo de Manchester. Sistema esse, adotado pela Ebserh/Sede para os seus hospitais porta aberta que possuem Urgência e Emergência, como é o caso do HUL.  

O Protocolo de Manchester utiliza um sistema de cores para organizar o atendimento. A ferramenta foi desenvolvida para possibilitar melhorias na organização dos serviços de emergência, com os atendimentos sendo realizados de acordo com o grau de gravidade apresentado pelo paciente, com os riscos de agravamento ou ainda com o grau de vulnerabilidade dos mesmos. O objetivo maior é oferecer um atendimento mais qualificado, organizado e humanizado – quem mais precisa é atendido primeiro; os casos mais leves ou menos graves, em seguida.

Classificação – Aos usuários com condição de saúde mais grave é atribuída a cor vermelha (EMERGÊNCIA); os casos muito urgentes recebem a cor laranja (MUITO URGENTE); os casos urgentes, a cor amarela (URGENTE); já aqueles que recebem a cor verde (POUCO URGENTE) e azul (NÃO URGENTE) são casos de menor gravidade, pouco ou não urgentes. A classificação é feita a partir das queixas, sinais vitais, oxigenação, nível de dor, glicemia entre outros sintomas.

Os usuários classificados com a cor vermelha precisam de atendimento imediato; os classificados como laranja precisam de atendimento urgente; aqueles classificados como amarelo precisam de atendimento, mas podem esperar; os classificados como verde exigem atendimento médico, que pode ser feito também nas Unidades Básicas de Saúde (UBS); e para os classificados como azuis usa-se a ordem de chegada ou podem ser direcionados a UBS.​

Fonte: Ascom

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here