Sergipe terá casa de acolhimento para população LGBT

O projeto ainda está em desenvolvimento e busca parceiros

0

Acolher. O verbo que tem significado tão simples e importante está ganhando cada vez mais sentido para as pessoas LGBT’s do estado de Sergipe. Isso porquê, um projeto idealizado pela militante transfeminista Linda Brasil, busca implantar em Aracaju, uma casa de acolhimento e apoio às pessoas que fazem parte desse grupo e que se encontram em situação de vulnerabilidade ou foram expulsas de suas casas.

Além de acolher e hospedar provisoriamente a população LGBT, que muitas vezes não dispõe do apoio da família simplesmente por conta de sua orientação sexual ou identidade de gênero, a ‘CasAmor’, como foi nomeada, também terá a perspectiva capacitadora. A ideia é que, através dela, os assistidos tenham acesso a cursos e oficinas para que possam se inserir no mercado de trabalho, e assim, conseguir sua autossustentação.

A inspiração para criar em Sergipe um ponto de acolhimento para LGBT’s, segundo Linda Brasil, surgiu a partir de projetos que já deram certo em outros estados, como a ‘Casa Nem’, no Rio de Janeiro e a ‘Casa 1’, em São Paulo. Segundo ela, projetos como estes são fundamentais, principalmente para as pessoas trans e travestis que são as mais excluídas e marginalizadas socialmente.

Ainda em processo de desenvolvimento, a iniciativa sergipana já conta com alguns apoiadores, que através de reuniões estão definindo questões estruturais da casa, além de demandas como a viabilização dos cursos que serão ofertados e as parcerias necessárias para dar continuidade ao projeto.

Colaboradores

Psicólogos, arquitetos, designers, jornalistas, professores e outros profissionais já abraçaram o projeto e estão contribuído de forma voluntária para a ‘CasAmor’. Um destes colaboradores é o coordenador do Ambulatório Trans de Sergipe, Rodrigo Dornelas. Para ele, o local serve de ponto de apoio para a toda a população LGBT. “Tendo um espaço como a ‘CasAmor’, mesmo que a pessoa não utilize como domicílio, ela terá uma infraestrutura para que ela possa se sentir acolhida e para que possa trocar experiências com outras pessoas”, acredita.

Psicólogos, arquitetos, designers, jornalistas, professores e outros profissionais já abraçaram o projeto e estão contribuído de forma voluntária (Foto: Portal Infonet)

Doações

Com sede no bairro Inácio Barbosa, a ‘CasAmor’, segundo Linda, ainda dispõe de necessidades básicas, tanto nas questões estruturais, quanto no que diz respeito a móveis. “A princípio nós estamos precisando de doações ligadas a estrutura, além de móveis, e doações que possam contribuir para organização da casa. Já conseguimos algumas coisas, mas faltam outras, porque além de ser um local de hospedagem, ela será uma casa onde realizaremos oficinas e cursos ligados a arte e a culinária”, explica.

As reuniões que acontecem quinzenalmente são abertas para aqueles que buscam conhecer o projeto, fazer doações ou que queiram colaborar com a construção da ‘CasAmor’, a primeira casa de acolhimento para pessoas LGBT’s em Sergipe.

Por Yago de Andrade e Raquel Almeida

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here