UFS EM AÇÃO: atividades do Setembro Amarelo movimentam Campus de Lagarto

O objetivo é promover atividades de prevenção ao suicídio.

Durante o mês de setembro, no Campus Universitário Professor Antônio Garcia Filho, da Universidade Federal da Sergipe, em Lagarto e no Hospital Universitário (HUL/UFS), que tem o apoio da Ebserh e da Fundação Hospitalar de Saúde, estão sendo realizadas atividades voltadas para a prevenção do suicídio, o Setembro Amarelo.

Primeira Semana de Mobilização pela Vida

Entre os dias 11 e 20, foi realizada a Primeira Semana de Mobilização pela Vida da Residência Multiprofissional em Saúde da Família de Lagarto, cuja coordenadora é a professora Giselle de Carvalho Brito, do departamento de farmácia. Está foi uma ação alusiva ao Setembro Amarelo e contou com o apoio da turma de Medicina do 4° ano.

As ações foram realizadas na Unidades Básicas de Saúde Davi Marcos de Lima, José Antônio Maroto e Padre Almeida, onde atuam os Residentes,e na Escola Estadual Luiz Alves e no Campus da UFS-Lagarto. O objetivo foi mobilizar e fomentar discussões a respeito da temática do suicídio.

No dia 11, foi realizada uma roda de conversa junto aos residentes de Atenção Hospitalar, em que contamos com a mediação da Professora, Mestre Rosângela Machado. No dia 12, realizou-se um jogo de perguntas e respostas na Escola Estadual Luiz Alves, na Colônia Treze. Nos dias 13, 14 e 18, realizaram-se intervenções nas Unidades de Saúde e dia no dia 20, a ação na UFS intitulada “De fora para dentro do coração: oficina de feridas internas”.

Hospital Universitário

Em ação conjunta com a Fundação Hospitalar de Saúde e com a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), os alunos da disciplina de Práticas de Ensino na Comunidade , sob coordenação da professora Priscila Rios,promoveram ações de valorização da vida, por meio de cartazes com mensagens positivas.

Dados da OMS e ações no Brasil

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), estima-se que no Brasil, ocorram 12 mil suicídios por ano. No mundo, são mais de 800 mil ocorrências, isto é, uma morte por suicídio a cada 40 segundos, conforme o primeiro relatório mundial sobre o tema, divulgado pela OMS, em 2014.

Segundo informações do site www.setembroamarelo.org.br, iniciado no Brasil pelo CVV (Centro de Valorização da Vida), CFM (Conselho Federal de Medicina)e ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria), o Setembro Amarelo realizou as primeiras atividades em 2015 concentradas em Brasília. Mundialmente, o IASP – Associação Internacional para Prevenção do Suicídio estimula a divulgação da causa, vinculado ao dia 10 do mesmo mês no qual se comemora o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio.

Alunos da farmácia apresentam cartazes com mensagem de incentivo de valorização da vida (Foto: colaboração professora Taís Unfer)
Alunos da farmácia apresentam cartazes com mensagem de incentivo de valorização da vida (Foto: colaboração professora Taís Unfer)
Cartaz de atividades do Setembro Amarelo no HUL (Foto: colaboração professora Taís Unfer)
Cartaz de atividades do Setembro Amarelo no HUL (Foto: colaboração professora Taís Unfer)
ação na UFS intitulada "De fora para dentro do coração: oficina de feridas internas" (Foto: colaboração professora Giselle de Carvalho Brito)
ação na UFS intitulada “De fora para dentro do coração: oficina de feridas internas” (Foto: colaboração professora Giselle de Carvalho Brito)
Alunos do programa Residência Multiprofissional em Saúde da Família, na UBS José Antônio Maroto, em Lagarto(Foto: colaboração professora Giselle de Carvalho Brito)
Alunos do programa Residência Multiprofissional em Saúde da Família, na UBS José Antônio Maroto, em Lagarto(Foto: colaboração professora Giselle de Carvalho Brito)
Alunos do programa Residência Multiprofissional em Saúde da Família, na UBS Davi Marcos, em Lagarto(Foto: colaboração professora Giselle de Carvalho Brito)
Alunos do programa Residência Multiprofissional em Saúde da Família, na UBS Davi Marcos, em Lagarto(Foto: colaboração professora Giselle de Carvalho Brito)
No material de apoio, sob orientação da professora Tais Unfer, a pergunta "Até que ponto a UFS 'tá te elouquecendo'?" incentiva os estudantes a expressarem dificuldades com o sistema de ensino da instiuição (Foto: colaboração professora Tais Unfer)
No material de apoio, sob orientação da professora Tais Unfer, a pergunta “Até que ponto a UFS ‘tá te elouquecendo’?” incentiva os estudantes a expressarem dificuldades com o sistema de ensino da instiuição (Foto: colaboração professora Tais Unfer)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here