escovação dos dentes após cada refeição é uma das principais recomendações dos dentistas para que as pessoas mantenham uma boca saudável e conservem os dentes, sem a necessidade de restaurações e obturações, por um longo período. Contudo, o que muitas pessoas não sabem é que para uma higiene bucal eficaz é fundamental a escolha da escova de dentes correta.

A dentista do Seconci-SP (Serviço Social da Construção) Vanessa Alves explica que existe no mercado uma grande variedade de escovas, de diversos tamanhos e formatos. Segundo a especialista, o primeiro item que deve ser observado são as cerdas. “Opções com fios macios são as mais recomendadas, pois deslizam entre as cavidades e removem os resíduos de alimentos e a placa bacteriana sem causar danos à gengiva e ao esmalte dos dentes”, comenta.

Já para as pessoas que utilizam próteses dentárias, as cerdas mais rígidas são ideais pois garantem uma melhor higiene. A dentista esclarece ainda que indivíduos que fazem uso de aparelho ortodôntico fixo devem optar por cerdas com formato em ‘V’. “Além de limpar entre os dentes, essa opção garante também a higiene dos fios e bráquetes dentários. Porém, se a pessoa possui implante ou retração gengival o indicado é usar escovas interdentais, como auxiliar da limpeza bucal”, ressalta.

O tamanho da cabeça da escova, de acordo com a dra. Vanessa, é outro ponto que merece especial atenção no momento da aquisição. A dentista explica que deve-se levar em consideração a dimensão da cavidade bucal, pois é preciso que durante o processo de limpeza todos os dentes sejam alcançados. “Escovas com cabeças arredondadas são as mais indicadas para todos os casos, mas para pessoas com limitação de abertura da boca ou que ainda possuem o dente do siso, o recomendável é uma opção com ponta menor”, afirma.

No caso de crianças, a especialista salienta que a escovação deve ser realizada mesmo antes do surgimento dos primeiros dentes. “Os filhos tendem a repetir os hábitos dos pais, por isso é muito importante escovar as gengivas dos bebês com uma gaze umedecida com água desde muito cedo. E, a partir do surgimento dos primeiros dentes, com uma escova extra macia. Além de retirar resíduos de alimentos, evitando o mau cheiro, ainda faz com que a criança adote o costume de fazer a higiene bucal regularmente”, complementa.

A dra. Vanessa comenta que mesmo com o uso da escova adequada, existem regiões entre os dentes que não são alcançadas pelas cerdas e podem acumular resto de comida. Por esse motivo, o uso do fio e da fita dental devem estar sempre presentes no processo de higienização.

“Tanto a escova das crianças quanto a dos adultos devem ser substituídas a cada três meses ou quando a pessoa perceber que as cerdas estão muito esgarçadas. Contudo, se tiver dúvida sobre a troca ou o modelo mais indicado, o recomendado é procurar um dentista que dará as devidas orientações”, conclui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here