Evento estressante pode levar o coração ao colapso; entenda

Especialista explica como evitar que fortes emoções afetem a saúde cardiovascular, especialmente neste período de eleições

thoughts

Evitar discussões, estresse e emoções fortes, principalmente neste período de eleições, parece uma tarefa difícil, especialmente para aqueles que não resistem a um debate sobre política. Mas é nessas horas que aprender a controlar os ânimos pode ajudar a evitar uma crise de estresse agudo e, consequentemente, um evento cardíaco.

Segundo o cirurgião cardiovascular, Dr. Marcelo Sobral, quando se torna frequente e exagerado, o estresse pode resultar em arritmias, insuficiência cardíaca e até em um infarto do miocárdio. Isso porque, fortes emoções podem fazer com que o corpo sofra uma descarga de adrenalina, que acelera os batimentos cardíacos e aumenta a pressão arterial.

De acordo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 90% da população mundial sofre de estresse, no Brasil cerca de 80% da população é afetada pelo problema. “A saúde física e mental estão interligadas, por isso é muito importante controlar as emoções, se alimentar adequadamente, evitar o consumo de bebidas alcoólicas e praticar atividade física, que auxilia na liberação da endorfina, promovendo a sensação de bem-estar e euforia e também da dopamina que proporciona efeito tranquilizante e analgésico”, afirma Sobral.

O especialista explica que a forma como lidamos com o estresse dita o “compasso” dos batimentos cardíacos, ou seja, como reagimos a uma situação estressante, pode alterar diretamente o funcionamento do coração, desencadeando doenças cardiovasculares e metabólicas.

“Mudar a maneira de agir diante de um evento estressante pode ser fundamental para evitar um infarto, por exemplo. Durante a crise de estresse, a pessoa pode apresentar sintomas como falta de ar, coração acelerado e transpiração excessiva e por isso, ao notar a recorrência desse tipo de comportamento, é recomendado procurar um especialista e fazer um acompanhamento com um cardiologista e um psicólogo”, finaliza Sobral

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here