O candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, enviou nesta segunda-feira (22) uma carta ao ministro Celso de Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal), para se retratar sobre as recentes críticas feitas por membros de sua equipe à Corte.

No documento, o presidenciável afirma que as manifestações ocorridas nos últimos tempos foram “emocionais” e “se mostram fruto da angustia e das ameaças sofridas neste nesse processo eleitoral”.

“O Supremo Tribunal Federal é o guardião da Constituição e todos temos de prestigiar a Corte”, escreveu Bolsonaro para finalizar a carta.

Filho de Bolsonaro pede desculpas por vídeo em que sugere fechar STF

Bolsonaro disse que STF deve ser prestigiado

Bolsonaro disse que STF deve ser prestigiado

 

Em um vídeo que circula na internet, o filho de Bolsonaro sugere fechar a Suprema Corte, caso a candidatura de seu pai seja barrada pela Justiça.

Ao rebater a afirmação, Celso de Mello, que é o magistrado mais velho do STF, classificou a fala como “inconsequente e golpista”.

“[A declaração] mostra bem o tipo de parlamentar cuja atuação no Congresso Nacional, mantida essa inaceitável visão autoritária, só comprometerá a integridade da ordem democrática e o respeito indeclinável que se deve ter pela supremacia da Constituição da República”, disse o ministro em declaração escrita enviada ao jornal Folha de S.Paulo.

A fala de Flávio também foi citada por Rosa Weber, que também preside o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e pelo ministros Marco Aurélio Mello, que atribuiu o comentário ao desrespeito pelas instituições pátrias. “Vamos ver onde é que vamos parar”, complementa.

Em manifestação nesta segunda-feira, o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Dias Toffoli, afirmou que “atacar o Poder Judiciário é atacar a democracia”.

Ministros do STF criticam declaração de Bolsonaro sobre Supremo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here