O candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, disse nesta sexta-feira  que, se eleito, dará prioridade à geração de emprego. Ele também falou sobre as propostas para a área indígena e defendeu a emancipação dos índios.

O candidato do PSL passou o dia em casa. Ele se reuniu com o presidente do partido, Gustavo Bebianno, e com o deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS), já anunciado como ministro da Casa Civil num eventual governo.

Onyx lorenzoni disse que eles discutiram estratégias para montar uma equipe de transição, caso Bolsonaro seja eleito.

O candidato do PSL manteve a rotina de postagens nas redes sociais. Ele publicou um vídeo de uma visita que recebeu de uma índia da tribo Xingu na casa dele, na . No encontro, Bolsonaro falou sobre as propostas para os índios.

“No que depender de mim, vocês serão emancipados. O índio norte-americano vive, em grande parte, dos royalties dos cassinos. Vocês, aqui, podem viver de royalties não só de minério, mas exploração da biodiversidade, bem como royalties de possíveis hidrelétricas que poderiam ser construídas na terra de vocês, então, vocês são brasileiros como nós e têm todo direito de explorar a terra de vocês”, afirmou.

Bolsonaro também disse que é vítima de críticas da oposição, que, segundo ele, são infundadas.

“Olha, a oposição é o PT. Eles estão ameaçando que eu vou fazer barbaridade, acabar com o professor no Brasil, vai ser tudo ensino à distância, vou acabar com Bolsa Família, 13º, vou metralhar índio, isso é o que eles sabem fazer o tempo todo, levar o terror”, declarou.

E mandou uma mensagem para a tribo: “Eu pretendo que todos vocês sejam felizes. Eu quero que todos vocês tenham os mesmos direitos que nós brasileiros temos. Eu quero que vocês, de fato, tenham direito ao uso da terra de vocês, explorando a sua biodiversidade e suas riquezas minerais. Um abraço a todos irmãos índios no Brasil. Estamos juntos!”

Em outra postagem, o candidato escreveu: “Nossa prioridade é gerar crescimento, oportunidade e emprego, retirando enormes contingentes da população da situação precária na qual se encontram”.

Nesta sexta-feira, Bolsonaro também recebeu apoio do ministro do Interior italiano, Matteo Salvini. Segundo o deputado que entregou a carta de apoio, os dois conversaram por vídeo e Bolsonaro se comprometeu a extraditar o ex-ativista italiano Cesare Battisti. Atualmente, uma decisão liminar do Supremo Tribunal Federal (STF) impede a extradição.

Transmissão no Facebook

À noite, Bolsonaro participou de uma transmissão no Facebook ao lado do filho Flávio Bolsonaro. Ele fez críticas a Fernando Haddad e ao PT. Também afirmou que a eleição “não está ganha” e pediu mobilização de apoiadores nos últimos dias antes da votação.

“O que está em jogo é o futuro da pátria, o respeito à família, uma luta para que tenhamos currículo escolar diferente desse que está na escola com ideologia de gênero”, afirmou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here