Já de olho na Copa América de 2019, a seleção brasileira entra em campo nesta sexta-feira (16) para seu penúltimo amistoso em 2018, contra o Uruguai. O tradicional rival sul-americano dará uma nova chance a Tite de experimentar com a escalação, visando definir o elenco para a disputa do torneio continental.

Tradicionais figuras no pós-Copa da Canarinho, Casemiro e Philippe Coutinho estão lesionados e não entrarão em campo no Emirates Stadium, em Londres. O Uruguai também sofre com desfalques, mas tem uma carta na manga para sair com a vitória: a dupla Cavani e Suárez.

Tite mantém mistério

Em coletiva concedida na véspera do amistoso, Tite manteve o mistério sobre a escalação da equipe, mas deixou escapar a presença do volante Wallace entre os titulares, em razão da lesão de Casemiro.

“O Casemiro não vai, então o Walace vai jogar, pois é um jogador da função e foi convocado pra isso. Não vou enrolar. É o momento em que há uma série de modificações, e você acaba oscilando dentro do jogo, porque se mexe muito. Diferente de uma equipe que vinha sendo repetida. Se joga Arthur, Paulinho ou Renato, são características diferentes, se ajudam diferentes. Não vou facilitar e quero potencializar o que pode ser surpresa para outra equipe”, disse Tite. O comandante da seleção também falou sobre cobranças por vitórias e traçou o caminho que o Brasil precisa fazer na Copa América de 2019 para que ele se mantenha no cargo. O treinador também destacou que este é o momento de dar oportunidades.

“É preciso jogar muito bem e ganhar. No mínimo, chegar à final. Antes ter um grande desempenho. Quero fazer o meu trabalho e dar o melhor no dia a dia, crescer como profissional. Até onde vai o trabalho não sei. Nossa cultura é de um país que transpira futebol. Eu também penso que, pelo nível dos atletas, precisamos chegar longe nas competições.Uma seleção é forte no seu conjunto. Tenho certeza que é um momento tanto para o (Óscar) Tabárez quanto para nós de dar oportunidade para outros atletas. Uma série de fatores são importantes nessa evolução do atleta para ele se credenciar a estar numa Copa América e uma Copa do Mundo”, destacou.

 

A Copa América é logo ali!
Se era renovação que a torcida queria, é renovação que Tite está propondo — mas o processo está longe de ser abrupto. Em quatro amistosos, 30 jogadores diferentes entraram em campo com a camisa da seleção brasileira. As mudanças abrem margem para os atletas mostrarem seu valor ao treinador, que tem uma preocupação iminente: definir o elenco que irá jogar a Copa América, em 2019. 

Treino da seleção brasileira - Neymar

Seis jogadores dos 30, porém, marcaram presença em todos os quatro jogos amistosos: Marquinhos, Neymar, Richarlison, Arthur, Philippe Coutinho e Casemiro. Este não irá jogar, lesionado, com Rafinha sendo convocado para sua vaga. E se Arthur é figura carimbada para enfrentar o Uruguai, a ausência de Philippe Coutinho deixa uma interrogação no ar. Para o lugar do meio-campo do Barcelona, Tite tem duas opções com Paulinho e Renato Augusto, mas o treinador fez mistério sobre a escalação oficial para esta sexta.

Adversário mais forte?

Nos últimos quatro amistosos que fez, o Brasil enfrentou seleções que pouco ameaçaram a meta verde e amarela — Estados UnidosEl SalvadorArábia Saudita e Argentina (sem Messi e Di María, dois de seus principais jogadores) não marcaram quaisquer gols. Seria o Uruguai o maior desafio da Canarinho no pós-Copa?

Luis Suárez e Cavani, os dois maiores artilheiros da história da Celeste, trazem peso ao confronto e serão as principais peças no ataque do Uruguai. Todavia, o maestro Oscar Tabárez não poderá vir com força máxima para o confronto, já que acumula desfalques na defesa.

Cavani e Suárez

Cavani e Suárez

 

O técnico do Uruguai perdeu os zagueiros Godín e Giménez (titulares), Coates, Gastón Silva e Cabaco. Quem assume a defesa? As opções são Mauricio Lemos, Emiliano Velázquez e Bruno Mendéz; Cáceres, lateral, também pode surgir improvisado na zaga.

Outros três jogadores já tinham sido cortados anteriormente, todos por lesão: Fernando Muslera, Marcelo Saracchi e Christhian Stuani. Nahitán Nandez e Camilo Mayada, que tinham sido convocados, foram deixados de fora da lista final por pedido da Conmebol; os dois são jogadores de Boca Juniors e River Plate, que disputam a final da Libertadores.

“É algo inédito pela quantidade de jogadores que se lesionaram e porque quase todos são da mesma zona. Houve outras circunstâncias além das lesões, como a final da Libertadores, que nos fez perder dois jogadores. Isso nos trouxe complicações. Vamos com o objetivo de sempre: jogo, resultado, e comprometimento. Tenho fé e confiança”, disse o treinador da Celeste.

BRASIL X URUGUAI

Estádio: Emirates Stadium, em Londres (Inglaterra)
Data: 16 de novembro de 2018, às 18h
Árbitro: Craig Pawson (Inglaterra)
Assistentes: Steve Child e Ian Hussin (ambos da Inglaterra)

Brasil: Alisson, Danilo, Marquinhos, Miranda e Filipe Luís; Walace, Arthur e Renato Augusto (Paulinho); Douglas Costa, Neymar e Firmino. Técnico: Tite.

Uruguai: Campaña; Mathias Suárez, Cáceres, Velázquez (Méndez) e Laxalt; Torreira, Bentancur, Vecino e De Arrascaeta; Cavani e Suárez. Técnico: Oscar Tabárez.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here