“É nóis: Atleta Lagartense de MMA vence maior competição da América Latina.

Denis Araújo o "Três Dedos" é natural da Colônia Treze, e neste sábado conquistou o cinturão de Campeão ‘Peso Mosca’ no ‘Jungle Fight 92’.

O lutador profissional de MMA Denis Araújo o “Três Dedos“, 25 anos, é natural do Povoado Colônia Treze em Lagarto, e radicado na capital Mineira desde os 14 anos de idade.

Na noite deste sábado(30) ele conquistou o cinturão de Campeão ‘Peso Mosca’ no ‘Jungle Fight 92’, mais importante evento de MMA da América Latina realizado no Ginásio Mineirinho em Belo Horizonte.

Em um dos combates mais aguardados do Card principal, Denis  que pertence a equipe VF e Reis Team de MG enfrentou o baiano Bruno Menezes da Champion Team pelo cinturão peso mosca (57kg).

Assista um vídeo com os momentos finais do duelo e a entrega do cinturão ao nosso conterrâneo.

Conheça um pouco da história deste orgulho lagartense

Denis nasceu com uma anomalia na mão esquerda. Com dois dedos a menos, o jovem veio de Sergipe para Minas Gerais com apenas 14 anos, ao lado da mãe e do irmão. Em Belo Horizonte, ganhou um padrasto.

Com o sonho de ser jogador de futebol, o garoto mudou o rumo depois de muitas expulsões nas partidas.

Na luta, ‘Deninho’ sofreu para conseguir algum lugar para treinar. Sofreu preconceito por não ter dois dedos na mão. Mas superou tudo isso e encontrou o mestre João Reis, na academia Luiz Muay Thai, onde conseguiu treinar e dar aulas para sobreviver.

Em 2013, o ano mais sofrido de sua vida. O irmão, caminhoneiro, faleceu em um acidente. Menos de quatro meses depois, perdeu o padrasto por câncer. Mesmo assim, não desistiu do sonho de ser um conhecido lutador de MMA e venceu três lutas nas artes marciais mistas no ano passado.

Denis Araújo por ele mesmo.

Nasci no Sergipe, em Lagarto. Minha mãe veio para Minas Gerais para trabalhar como porteira e conheceu meu padrasto. Ainda tinha um irmão mais velho e cheguei em 2006 em Belo Horizonte. Morava eu, meu irmão mais velho, meu padrasto e ela. O ano de 2013 foi o pior da minha vida. Meu irmão era caminhoneiro e o perdemos em um acidente. Dois meses depois, apareceu um câncer no meu padrasto. Nem dois meses se passaram e ele também faleceu. Hoje só estamos nós. Vivo da luta, não estava dando aula nem nada. Aí meu mestre abriu uma vaga para eu dar aula e já me ajudou muito pagando o aluguel. Pensei em parar de lutar, porque tinha que pagar as contas. O João Reis é como se fosse um pai para mim.

Mudança de sonho

Meu sonho era ser jogador de futebol, mas sempre jogava uma partida sim e outra não, porque sempre brigava e era expulso Aí o professor do futebol me disse que futebol não era pra mim e falou para eu arrumar um esporte de luta. Fui procurar e entrei numa academia. Minha mão não girava ao contrário, porque o osso do cotovelo é tipo quebrado. Quando faço flexão eu faço com uma mão certa e outra torta. Eles ficavam com medo de eu me machucar.

Entrada no MMA

Fui treinar boxe. Hoje eu consigo girar o braço mais ou menos. Comecei treinando com o João Reis. Depois entrei no boxe chinês. Lutei no amador e ganhei em todas, umas quatro ou cinco vezes. Aí teve uma vaga para lutar MMA e ganhei, na estreia, finalizei o cara no primeiro round. Ganhei a vaga por um cinturão.

Na minha segunda luta do MMA FT Fight, ganhei o cinturão. Aí surgiu o nome de Deninho. Na minha terceira luta, finalizei também.

Oportunidade no Brasil e no Jungle Fight

Estava tendo o Brasil Fight em 2012 e conversei com meu mestre. Falei que queria lutar a seletiva e ele me colocou no Minas Combat. Foi uma luta contra um italiano e nocauteei no primeiro round. Não vou desistir nunca. Eu jogava bola, gosto de esporte. A luta sempre estava no meu sangue. Fiz capoeira quando era mais garoto, assistia UFC, só tinha medo por causa da minha mão e tinha medo de machucar mais ainda. A luta me ajudou a superar meu medo.

Agora estou tendo a oportunidade de participar do ‘Jungle Fight’ do Wallid Ismail que revelou por exemplo os campões e lendas do esporte como José Aldo, Fabrício Werdum, Renan Barão, Lyoto Machida, e Rogério Minotouro.

Com informações do Superesportes.com

1 COMENTÁRIO

  1. Conheci essa figurassa no fim do ano passado e ele sempre falava que ia voltar com o cinturão.
    Merecedor demais menino humilde e centrado parabéns Deninho você merece tudo de bom na vida Mano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here