A Maternidade de Lagarto, Maternidade Zacarias Júnior, corre o risco de entrar em greve,e mais uma vez, quem paga a conta é a população.

Na manhã desta segunda-feira (10) a Cooperativa de Anestesiologistas de Sergipe (COOPANEST) lançaram nota alertando para o risco de greve da categoria no estado. A motivação, de acordo com os profissionais, seria a falta de pagamento dos devidos honorários pelos serviços prestados. Na Maternidade de Lagarto, os pagamentos não estariam sendo feitos desde julho. A nota diz ainda que já houveram constantes tentativas de se estabelecerem acordos, mas que nunca foram cumpridos pelas autoridades.

A entidade em questão representa mais de 180 anestesistas em Sergipe e afirma que a greve poderá ser deflagrada já nos próximos dias. A Cooperativa, porém, esclarece que a paralisação deverá ocorrer apenas nos locais onde há prejuízos – além da Maternidade de Lagarto, “o Hospital Regional Amparo de Maria (HRAM) há mais de 2 anos não paga a produtividade e os honorários de agosto foi pago mês passado” e com relação ao “Hospital Cirurgia, são 3 anos sem pagar a produção e quanto aos honorários pagaram os meses de agosto e setembro deixando em aberto os meses de junho e julho”.


Na nota, ressalta-se que “os médicos anestesistas estarão atendendo única e exclusivamente as cirurgias de urgência e emergência”. Entretanto, não há qualquer previsão para deflagração da greve.

Leia a nota na íntegra

A Cooperativa de Anestesiologistas de Sergipe – COOPANEST, entidade que representa mais de 180 anestesistas no Estado de Sergipe, vem através deste comunicado, alertar a sociedade para uma possível paralisação nos próximos dias das atividades dos médicos anestesistas que prestam serviço nos seguintes hospitais: Cirurgia, Hospital Regional Amparo de Maria (HRAM) e Maternidade de Lagarto. 

Esta atitude deve-se a falta de pagamento dos honorários médicos que se arrasta há meses, gerando um passivo acumulado impossível de administrar junto aos cooperados. Apesar da inadimplência, visando não prejudicar a população, os médicos anestesistas continuam trabalhando e a Cooperativa vem negociando e firmando vários acordos com diversos prazos que são quebrados frequentemente, criando inúmeras dificuldades financeiras aos profissionais.

Em relação a Maternidade de Lagarto o último pagamento foi efetuado no mês de julho, já o Hospital Regional Amparo de Maria (HRAM) há mais de 2 anos não paga a produtividade e os honorários de agosto foi pago mês passado. Com relação ao Hospital Cirurgia, são 3 anos sem pagar a produção e quanto aos honorários pagaram os meses de agosto e setembro deixando em aberto os meses de junho e julho.

Diante do insucesso nas negociações e descumprimento dos acordos firmados com a Cooperativa, não nos resta outra alternativa senão a suspensão da prestação de serviço nestes locais. Ressaltamos que, como em situações anteriores, os médicos anestesistas estarão atendendo única e exclusivamente as cirurgias de urgência e emergência.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here