O objetivo da pesquisa foi avaliar a percepção de satisfação dos usuários, atendidos nas UBS do município, para aprimorar, fortalecer as instâncias do controle social e os canais de interação com o usuário. Com garantia de transparência e participação cidadã, a pesquisa aconteceu junto aos usuários nas seguintes Unidades Básicas de Saúde do Município:

  • UBS Alto da Boa Vista
  • UBS Josefa Barbosa dos Reis Romão
  • CSF Dr. Davi Marcos de Lima
  • UBS Padre Almeida
  • UBS Leandro Maciel
  • UBS Givalda dos Santos Almeida
  • CSF José Antônio Maroto

As avaliações aconteceram com questionários aplicados no período de 10 de outubro a 25 de outubro nas UBS citadas acima. Foi obtido o total de 105 respostas. Os dados obtidos são consolidados em gráficos, permitindo uma melhor visualização da percepção dos usuários no que se refere ao atendimento recebido e satisfação geral com a UBS.

O questionário foi composto por oito perguntas e a análise dos dados serviram como indicador para a Gestão, mostrando onde está a insatisfação dos usuários e as oportunidades de aprimorar a qualidade no atendimento.

ANÁLISE DOS RESULTADOS

1-    PERFIL DO USUÁRIO

Foram analisados o gênero e a faixa etária dos usuários das sete Unidades Básicas de Saúde localizadas na cidade como também na Colônia Treze e no Povoado Jenipapo. Dos 105 usuários entrevistados, a maioria pertence ao sexo feminino (97%) e 3% do sexo masculino. A faixa etária foi de 17 a 72 anos de idade, como mostra os gráficos 1 e 2 abaixo:

grafico1

Gráfico 1- Gênero dos usuários. Lagarto, 2018.

grafico2

Gráfico 2- Faixa etária dos usuários. Lagarto, 2018.

Como os questionários foram aplicados no mês alusivo à prevenção do câncer de mama, a maioria ser do sexo feminino é considerado um fator positivo para a saúde da mulher, já que se trata do mês de conscientização das mulheres em prevenir a respectiva patologia, principalmente as com faixa etária de 40 a 69 anos.

2 – ATENDIMENTO

grafico3

O primeiro item a ser perguntado refere-se ao atendimento da recepção das UBS, cujos dados estão apresentados no Gráfico 3.

 

Gráfico 3- Avaliação dos usuários para o atendimento da recepção nas UBS. Lagarto, 2018.

Analisando o Gráfico 3, percebe-se que do total de 105 entrevistados 73% consideram o atendimento bom, seguido de 22% ótimo. Com isso, deve-se manter essa percepção do usuário, pois esse espaço serve como o primeiro olhar do usuário quando chega à UBS.

p1cqmbjuhb10g1jg5f18bghl911

Com relação ao atendimento, também foram analisadas a equipe do ESF (Estratégia de Saúde da Família): médico, enfermeiro, técnico de enfermagem e agente comunitário de saúde. Essa equipe prioriza as ações de prevenção, promoção e recuperação da saúde das pessoas, de forma integral e contínua, como apresentam os Gráficos 4, 5 e 6.

grafico4

Gráfico 4 – Avaliação dos usuários para o atendimento de médico / ESF. Lagarto, 2018

grafico5

Gráfico 5 – Avaliação dos usuários para o atendimento de enfermeiros/ESF. Lagarto, 2018

A análise dos dados, dos gráficos acima é considerada satisfatória, pois ambos os atendimentos obtiveram em sua maioria o índice bom com 51% para os médicos e 48% para a enfermagem. Diante dos resultados, podemos afirmar que este índice representa que a equipe possui um vínculo com a comunidade, facilitando a identificação e o atendimento dos problemas de saúde da área.

No município temos 28 equipes sendo 21 ESF e 07 EACS – Estratégia de Agentes Comunitários de Saúde, composta por 28 enfermeiros, 21 médicos e 205 agentes comunitários de saúde, responsáveis por ações que possibilitem a qualidade de vida, minimizando os fatores de risco da comunidade em especial, como também, humanizar as práticas em saúde.

Uma peça fundamental para que isso se realize são os agentes comunitários de saúde. Assim, buscamos analisar a frequência de visita do ACS nas residências dos usuários, como determina o decreto federal nº 3.189 de 4 de outubro de 1999, que fixa as diretrizes para o exercício de suas atividades.

grafico6

Gráfico 6 – Avaliação dos usuários com a frequência de visita do agente de saúde. Lagarto, 2018.

O Gráfico 6 indica que 65,71% dos usuários entrevistados recebem visita mensalmente do agente comunitário de saúde em sua residência. Quando os usuários indicavam que não recebia a visita do agente (13,33%), tinham como justificativa o fato de estarem morando há pouco tempo naquela localidade; e quando indicavam a pouca frequência da visita do usuário (20,95%), afirmavam que na sua residência não apresentava grupo de risco, que não exige a visita mensalmente do ACS.

3 – GERENCIAMENTO

Foram abordados neste tópico, assuntos referentes à marcação de consultas e exames, higiene, limpeza e organização.

Cada UBS tem seu próprio sistema de marcação de consultas referentes ao atendimento básico de saúde, como por exemplo: clínico geral, pediatra, cirurgião dentista, ginecologista, psicólogo. As demandas são agendadas com a melhor programação para a comunidade local e, na pesquisa, a maioria dos usuários considera o sistema de marcação atual, bom com 68%. No entanto, 18% consideram regular, (apresentados no Gráfico 7), no qual indicaram que existe uma grande procura dos pacientes e pouca demanda de oferta de vagas, ainda afirmam que é difícil ter vagas para o mesmo dia, atendendo somente pacientes de emergência.

grafico7

Gráfico 7- Avaliação dos usuários com sistema de marcação de consultas. Lagarto, 2018.

A fim de identificar o tempo de espera que o usuário leva para marcar exames de rotina após a consulta na UBS, a pesquisa mostrou que em média o usuário leva cinco dias (31,43%) ou mais uma semana (31,43%) para consegui marcar exames, em especial, de patologia (exames marcados para laboratórios clínicos). Como apresenta o Gráfico 8.

grafico8

Gráfico 8 – Tempo de espera para marcação de exames. Lagarto, 2018.

Buscando identificar quais exames, na percepção dos usuários tem uma longa duração de tempo para marcar, foram citados os exames: ultrassom, ecocardiograma, teste ergométrico, eletrocardiograma, raio-x, holter, endoscopia digestiva.

O exame de endoscopia digestiva é o único dentre esses tipos de exames que possui uma marcação diferenciada, pois o usuário precisa dar entrada no sistema e aguardar a autorização por parte do Estado para que ele consiga realizar o exame em um prestador na capital. Os outros também são de responsabilidade do Estado, mas o prestador do serviço é localizado no próprio município. A agenda é liberada para a Regional (Lagarto, Riachão do Dantas, Poço Verde, Simão dias, Tobias Barreto) e cada município tem sua cota.

Uma das atitudes para minimizar o desgaste do cidadão as UBS do município recolhem a guia e os dados dos pacientes, no qual é estabelecida uma de fila de espera para marcação dos exames.

Foi questionado também, o nível de satisfação referente a higiene, limpeza e organização da UBS. Dentre os dados, pode-se afirmar que todos os estabelecimentos de saúde são limpos e organizados, já que 98% dos pesquisados avaliaram o ambiente como ótimo e bom, como apresenta o Gráfico 9.

grafico9

Gráfico 9- avaliação do ambiente da UBS. Lagarto, 2018.

3 – SATISFAÇÃO

 Solicitamos que o usuário manifestasse sua opinião em relação a todo o ano em que ele frequentou a unidade. Veja no gráfico 10 os dados;

grafico10

Gráfico 10- Avaliação de Satisfação. Lagarto, 2018.

No quesito melhorias, os usuários entrevistados apontaram pontos que poderiam obter melhorias, como por exemplo: maior rapidez na marcação de consultas e exames (EEG, ECG, HOLTER, ULTRASSON, RAIO-X, TESTE ERGOMETRICO, ECO, SCAN e PATOLOGIA).

Foi indicado que os exames eletrocardiograma, eletroencefalograma, ecocardiograma, holter, ultrassom, raio-x, teste ergométrico e scan variam de dois a três meses para conseguir a marcação. Porém, essas demandas, atualmente, são de responsabilidade da Secretaria Estadual de Saúde e têm agenda liberada apenas uma vez ao mês. Os relacionados à patologia clínica, de responsabilidade do município, possui uma cota mensal que quando atingida é bloqueada a marcação. O que, consequentemente, faz demorar a marcação dos exames.

Preocupada com a situação, a Secretaria de Saúde de Lagarto buscou a alternativa, fazendo uma fila de espera nas Unidades, para evitar o desgaste diário dos usuários na marcação dos exames. Para o exame de ECG, o município zerou a fila de espera com atendimento, viabilizando, através de recursos próprios, a realização do exame na UBS Leandro Maciel.

3 – CONCLUSÃO

Diante do que foi exposto neste relatório conclui-se que o panorama da saúde nas UBS do município de Lagarto é considerado satisfatório pela população. Os dados são positivos e indicam que a gestão atual contribui para a melhoria do serviço da saúde de Lagarto, gerando ações de prevenção, promoção e recuperação da saúde que viabilizam a qualidade de vida da comunidade na sede municipal e nos povoados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here