A campanha contra o câncer bucal, coordenada pelo Departamento de Odontologia do campus Lagarto, realiza mais um dia de atividades, no sábado (19), com orientações sobre saúde, dicas sobre autoexame e atendimentos no Odontomóvel (consultório sobre rodas). A ação, que teve início em novembro, acontece na Praça Silvio Romero, em frente ao supermercado GBarbosa, no centro da cidade. 
A ação de conscientização realizada pelos alunos, com supervisão dos professores Felipe Matos e Katharina Morant, alertou para os fatores de risco. Entre os mais atingidos pelo câncer bucal estão os homens fumantes com cerca de 50 anos. É o caso do pensionista Samuel dos Anjos, de 48 anos, que fuma há mais de 30 e esteve presente no primeiro dia da campanha. “Foi bom ter essas informações aqui sobre a questão da saúde da minha boca. É legal ver os alunos mostrando o que tem que ser feito. Agora já me convenci que tenho que largar o cigarro mesmo”, pontua.
A campanha, no entanto, recebeu a visita de moradores de várias faixas etárias. Jeanovsky Meira, de 37 anos, aprovou a iniciativa. “Eles trouxeram conhecimentos que, até então, eu não tinha. A partir de agora, já estou mais atento à necessidade do autoexame para perceber se surgir alguma mancha”, observa.
A experiência também foi bem avaliada pelos alunos. A jovem Letícia Morais, do terceiro ciclo do curso de Odontologia, participou pela primeira vez de atividade extracurricular em contato direto com o público. “É uma iniciativa muito interessante da Universidade, já que temos a oportunidade de conscientizar a população. E para a gente é muito legal saber que as orientações que passamos aqui vai ajudar não só quem veio aqui, mas também as famílias desses moradores”, pontua.
O professor Felipe Matos considera positivo o balanço do primeiro dia de evento. “Tudo ocorreu bem, nas orientações e também nos atendimentos. Tivemos hoje cinco encaminhamentos para a clínica escola de Odontologia do nosso campus, que são feitos apenas em casos onde é detectada alguma lesão ou alteração suspeita”, observa. A professora Katharina Morant acredita que ações do tipo estimulam o trabalho em equipe entre os alunos. “Tudo isso vai ser muito válido para a etapa profissional, pois reforça o aprendizado e vivência dos alunos na prevenção e diagnóstico do câncer bucal”, conclui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here