Em mais uma fase da operação Abate Final, os Ministérios Públicos de Sergipe e Federal interditaram, na manhã desta quinta-feira (14), o Matadouro Municipal José Sobral Garcez e o mercado de carnes, localizados no município de Itaporanga D’Ajuda, e estabeleceram prazo de cinco dias para o fechamento do matadouro de Estância, no Sul de Sergipe.

Também participaram da operação a Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema), Vigilância Sanitária, Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Sergipe (CREA), Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), Comando de Operações Especiais (COE) e Polícia Rodoviária Federal (PRF).

O promotor de justiça Yuri Marcel explica que em Itaporanga foi dado o prazo de 24 horas para que sejam retirados os objetos utilizados para o abate de animais. Já em Estância, por ser um matadouro de maior porte, com animais no local e mais objetos para o abate, foi dado o prazo de cinco dias.

De acordo com o promotor, a operação visa, através do fechamento de matadouros considerados irregulares, possibilitar que a população tenha acesso à carne de forma correta, respeitando todas as determinações legais. “O objetivo é fazer que o abate de carnes no estado seja feito de forma regular, nos matadouros que são efetivamente autorizados pela Vigilância Sanitária e Adema”, diz.

Yuri Marcel destaca ainda a preocupação com o meio ambiente e com a saúde da população, lembrando que os matadouros que funcionam de forma irregular não dão a destinação correta aos dejetos, muitas vezes remetendo-os aos afluentes que ficam próximos.

“É preciso evitar essa prática para que não haja nenhum prejuízo à população, principalmente em relação à água potável, os riachos e rios que circulam nessas cidades, para que não haja prejuízo maior à saúde da população e ao meio ambiente”, alertou.

Ainda de acordo com o promotor, os municípios de Nossa Senhora das Dores e Siriri também estão no alvo da operação e terão os matadouros fechados, já que apresentam situação semelhante aos demais.

Ele diz que inicialmente será feito um convite aos prefeitos para que eles se somem à situação e possam assinar Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com os promotores visando o fechamento desses matadouros. “Caso isso não ocorra, destinaremos uma nova operação para que esses matadouros sejam fechados. Mas aguardamos que os prefeitos tenham compreensão e façam isso com assinatura do TAC”, destaca o promotor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here