Após a queda do técnico Edmilson Silva, mais uma pessoa se despediu do Sergipe. Desta vez não foi jogador, nem integrante da comissão técnica. Carlson Silva entregou o cargo de presidente do clube alvirrubro.

Ele foi eleito duas semanas antes dos 109 anos de fundação do Sergipe por aclamação e teria pela frente um mandato de três anos. Na noite do dia 17 de outubro do ano passado, houve missa em homenagem ao clube no salão nobre do João Hora de Oliveira e, em seguida, foi realizada a cerimônia de posse de Carlson Silva.

Carlson Silva não é mais presidente do Sergipe — Foto: Reprodução/TV Sergipe

Carlson Silva não é mais presidente do Sergipe —

Desde que Silvio Santos renunciou ao cargo de presidente do Sergipe, em maio do ano passado, o posto estava vago e uma junta administrativa estava tocando os trabalhos. Aliás, o cargo de presidente tem sido instável ao longo dos últimos anos. Depois que Motinha saiu, passaram pela cadeira Ari Resende (interino), Carlos Alberto, Genisson Silva, Reinaldo Moura e Silvio Santos, todos renunciaram antes do encerramento do mandato.

Com novos conselheiros e a diretoria executiva eleita, a expectativa era de que, com a soma de esforços, as coisas se ajustassem na parte administrativa e o presidente tivesse uma maior tranquilidade para trabalhar. Tanto que o agora ex-presidente do Sergipe afirmou que uma das grandes metas seria cumprir esse mandato.

Carlson Silva, presidente do Sergipe — Foto: Osmar Rios/GloboEsporte.com

Esse é um desafio também, de ir até o fim. Mas eu acredito que, depois da era Motinha, é a primeira vez que se começa um mandato dessa forma. Ou seja, não houve uma cisão. Foi o contrário. Houve uma junção dos que estavam e dos que saíram. Essa minha candidatura foi um pedido do antigo presidente, o Reinaldo Moura, junto com Lailson. Chamamos todos os ex-presidentes, todas as pessoas que estavam aqui dentro, mostramos nosso organograma, como seria o trabalho e estamos vendo todos agindo de forma integrada. Então acredito que estamos começando de uma forma diferente – disse na época Carlson Silva.

E na tarde desta sexta-feira, às vésperas de um clássico contra o Itabaiana, o oftalmologista entregou o cargo de presidente do Sergipe. Em contato com GloboEsporte.com, Carlson confirmou a saída e explicou a decisão.

“Resolvi sair. Eu não estava tendo tempo de me dedicar ao Sergipe. Tenho meus trabalhos, meus afazeres e não adianta ficar só uma hora ou uma hora e meia lá no João Hora. Isso não resolve os problemas do Sergipe. Muitas pessoas me ajudavam no clube, mas tudo passa muito pelas mãos do presidente. Eu não estava feliz e estava já ficando doente. Eu estava angustiado, triste e ficando doente”, afirmou Carlson Silva.

O vice-presidente do clube era o professor e empresário Joaquim Macedo. No início da gestão, Lailson Melo deixou a presidência do Conselho Deliberativo e deu lugar ao ex-governador e empresário Albano Franco. Lailson foi designado para uma nova função. Ele passou a exercer o cargo de vice-presidente de futebol, mas com a chegada de Edmilson Silva, renunciou. Quem também saiu recentemente foi Albano Franco.

“Pelo estatuto, quem assume agora é o vice do conselho, no caso, Reinaldo Moura. Acho que muita gente vai ficar feliz, pois muitos queriam o Reinaldo de volta ao Sergipe”, explicou Carlson Silva.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here