Consultado, o Ministério do Meio Ambiente não havia informado, até a última atualização desta reportagem, os motivos das exonerações.

Os superintendentes exonerados são os de

  • Tocantins
  • Sergipe
  • Santa Catarina
  • Roraima
  • Rondônia
  • Rio Grande do Norte
  • Piauí
  • Pernambuco
  • Paraíba
  • Minas Gerais
  • Mato Grosso
  • Maranhão
  • Goiás
  • Espírito Santo
  • Distrito Federal
  • Ceará
  • Bahia
  • Amazonas
  • Amapá
  • Alagoas
  • Acre

Minas Gerais

Um dos exonerados é Julio César Dutra Grillo, da Superintendência do Ibama no estado de Minas Gerais.

Dutra Grillo já havia alertado que barragens de rejeitos em Brumadinho, entre as quais a da Vale, que se rompeu em 25 de janeiro, “não ofereciam risco zero”.

O aviso de Grillo foi feito durante reunião extraordinária da Câmara de Atividades Minerárias, em dezembro do ano passado.

Essa reunião resultou na aprovação, de forma acelerada, da licença para a continuidade das Operações da Mina de Córrego do Feijão, cujo rompimento provocou as mortes de 186 pessoas. Até esta quinta, outras 122 estavam desaparecidas, de acordo com a Defesa Civil de Minas Gerais.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here