O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), órgão da Secretaria de Estado da Saúde (SES), finalizou o balanço das ocorrências durante este Carnaval. No total, do dia 1° até às 6h desta quarta-feira (6),  foram registrados 224 chamados através da Central de Regulação de Urgência (CRU), sendo 74% proveniente de trauma, como acidentes de moto, colisão entre veículos e capotamento e 26% casos clínicos como Alcoolismo, vinculados ao Carnaval.Foram registrados oito óbitos. 

Durante todo o período, houve monitoramento em tempo real de todos os blocos de Carnaval no Estado de Sergipe, além das rodovias federais, estaduais, áreas urbanas e também região de praias. O trabalho foi realizado em parceria com outros órgãos como o Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal (PRF), Companhia de Policiamento Rodoviário Estadual (CPRv), Companhia de Policiamento de Trânsito (CPTran), Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) e SMTT.

Para esta operação, o SAMU disponibilizou 180 profissionais por dia. Do total de viaturas utilizadas nos traumas, foram realizadas 85% por meio  de Unidades de Suporte Básico (USB) e 15% em Unidades de Suporte Avançado (USA) alem de 10% em ação conjunta com as Motolâncias. As principais causas dos atendimentos registrados pelo órgão foram: colisão e capotamento: (28%); seguido de queda de Moto (23%); ferimento por arma branca e arma de fogo  (9,0%); agressão física (9,4%); alcoolismo (25%); e obitos (3,5%).

Ainda de acordo com o órgão, 72% do público envolvido em alguma ocorrência eram homens e 28% mulheres, destes 54% têm idades de 18 a 29 anos. A maioria das vítimas atendidas pelo SAMU foram encaminhadas para o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse): 25%, seguido dos hospitais regionais: 20%. As ocorrências se concentraram mas cidades de Aracaju, Tobias Barreto, Lagarto, Estancia, Itabaiana, São Cristóvão e Nossa Senhora do Socorro.

Segundo a superintendente do SAMU, Conceição Mendonça, o monitoramento do Carnaval foi contínuo. “Atuamos em tempo real em todo o Estado de Sergipe. Foram mais de 590 atendimentos neste período, mais de 220 vinculados ao Carnaval Tivemos mais de 25% de foliões alcoolizados. E um número significativo de óbitos: 8. Essas causas externas têm preocupados bastante todos nós que fazemos a Saúde pública de Sergipe. Houve uma mobilização de toda a rede, hospitais regionais, Upas, Huse, e chegamos a ter 22% de apoio de órgãos externos”, disse.

Para Conceição, onde ocorreu o trauma, o SAMU esteve presente. “Nós não gostaríamos de fazer esse tipo de atendimento, seria bem melhor se não ocorresse porque o acidente é uma causa previsível e evitável. Infelizmente tivemos um aumento de 37,5% de ocorrências por causas externas em relação aos atendimentos em dias normais. Por isso estamos com uma campanha educativa. Estamos preparados para atender e salvar vidas, mas orientamos a população a usar o cinto de segurança, não beber se for dirigir e não usar o  celular em trânsito”, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here