No dia  8 de Março, que é comemorado o  Dia Internacional da Mulher. E em Sergipe temos o que comemorar. Foi o lançamento do Projeto Piloto da Ronda Maria da Penha da Polícia Militar de Sergipe (PM-SE)”, ressaltou a presidente da Frente Parlamentar em defesa das Mulheres e procuradora da Mulher na Assembleia Legislativa de Sergipe, deputada estadual, Goretti Reis que é autora do Projeto de Lei que solicita a instalação do projeto em Sergipe. “A Frente é responsável por esse momento ímpar. Poder entregar a chave dessa viatura é o meu presente nessa data. Entregar nas mãos da capitã Fabíola, que é a comandante da Ronda e uma mulher compromissada com a causa, é a certeza de que estamos no caminho certo, e temos sim, o que comemorar, mesmo sabendo que muito ainda temos a fazer. Parabenizo e agradeço ao comandante da PM-SE, coronel Marcony Cabral por essa iniciativa, por essa solenidade e por entender nossos anseios”, disse a parlamentar.

A solenidade reuniu autoridades civis, militares e a sociedade no Fórum Ministro Heitor de Souza em Estância. Para os que participaram esse foi um momento único. “A Ronda Maria da Penha é importante para o enfrentamento da violência contra a mulher. Ela atua ostensivamente fiscalizando as medidas protetivas e também tem a finalidade de reprimir e prevenir futuras condutas.

 É possível diminuir as reincidências. É mais uma forma, é mais um veículo e é mais um instrumento para enfrentar a violência contra a mulher”, pontuou a vice-presidente da Comissão de defesa dos Direitos da mulher da OAB-SE, advogada Valdilene Martins.

A comandante da Ronda explicou como funcionará o serviço. “O acompanhamento será feito às mulheres vítimas de violência, através de medidas sistemáticas de uma guarnição da Polícia Militar e que já possuem medidas protetivas de urgência, expedidas pelo judiciário. Vamos montar uma rede de atendimento através de visitas. A Ronda contará com uma viatura exclusiva para as visitas. Iremos fiscalizar as medidas protetivas sempre que formos chamadas e fortalecer vínculos com a vítima, bem como incentivar outras mulheres a denunciarem seus agressores. Esta é uma ação de empoderamento, vamos levar informações a essas mulheres que precisam saber dos direitos que possuem, o que infelizmente poucas conhecem. Essa Ronda vem justamente, levar a essas mulheres o conhecimento de que elas podem sim quebrar o ciclo da violência e que não estão mais sozinhas e estão sendo atendidas por policiais capacitadas”.

O comandante da PM-SE, coronel Marcony Cabral disse ter certeza que a capitã Fabíola não é só a pessoa certa no lugar certo, “você é uma pessoa envolvida com uma causa que vai muito além de uma Ronda Maria da Penha, que fecha um ciclo, porque a Frente Parlamentar faz a sua parte, o judiciário faz a sua, colocando a medida protetiva”, pontuou o comandante dizendo ter prestado atenção na fala da capitã sobre a educação. “Vocês terão esse papel, o de ir nas escolas e mudar uma cultura que infelizmente acontece em nosso país, a violência contra a mulher, que é algo abominável. Esse é um projeto piloto, mas queremos chegar em todos os batalhões.



 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here