‘Se acham que não terei força como cabo eleitoral, testem’, diz Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva admitiu que pode ser impedido de disputar as eleições de 2018 e que pode atuar como cabo eleitoral de outro nome do partido. “Eles chegam a dizer que se o Lula for candidato, ele não vai ter força como cabo eleitoral. Testem!”, disse. Fernando Haddad, principal cotado para substituí-lo em caso de impedimento, foi exaltado no discurso.

O pronunciamento foi nesta 2ª feira (9.out.2017) em seminário sobre educação, desenvolvimento e soberania nacional promovido pelo PT em Brasília. Em tom mais moderado que o anterior à respeito de sua candidatura, o ex-presidente afirmou que sua ausência nas eleições não o impedirá de influenciar os votos.

“Se eles acham que me tirando da disputa esta resolvido o problema deles, façam e vamos ver o que acontece”, disse. “O problema é que nesse país tem milhões e milhões de jovens, de adultos, de velhos como eu, de crianças, que já aprenderam a ter consciência política.”

“Obviamente que eles podem [impedir a candidatura], junta meia dúzia de juízes, vota e não me deixa ser candidato. O Al Gore ganhou as eleições, uma decisão da Suprema Corte deu a vitória pro Bush e ele ficou quieto”, disse.

O ex-presidente Lula recebe flor em seminário promovido pelo PT em Brasília|Sérgio Lima/Poder360 - 9.out.2017

O ex-presidente Lula recebe flor em seminário promovido pelo PT em BrasíliaSérgio Lima/Poder360 – 9.out.2017

O petista também rebateu as acusações feitas contra ele pela Polícia Federal, pelo Ministério Público e as sentenças do juiz Sérgio Moro. “Eu sei que eu tô lascado. Porra, todo dia 1 processo. Eu não quero nem que o Moro me absolva, quero que ele peça desculpas”, afirmou.

O ex-presidente mencionou o outro pré-candidato ao Planalto, Jair Bolsonaro (PSC-RJ), em menção a uma reportagem do jornal Folha de S.Paulo que afirmou que o deputado agrada investidores. “Se o Bolsonaro agrada o mercado, nós do PT temos que desagradar o mercado”, disse, para o delírio da militância.

Mais moderado, Haddad não fez menção a uma candidatura. Criticou o governo Temer e exaltou os governos petistas. “O presidente Lula não deixou uma marca na educação, deixou 30. E isso não é modo de falar”, disse

O orador

Lula falou por 34m26s. Apostou na ironia contra os adversários e nas tradicionais anedotas de seu governo.

Em uma passagem que arrancou risos da plateia, afirmou ter chegado à Presidência com os soldados do exército sendo liberados às 11h por não falta de verba para o almoço. “Eram liberados às 11h, porque não tinha dinheiro para o rango”, disse. “Imagina se o Paraguai sabe disso? Teria invadido o Brasil depois do almoço. Teria se vingado da guerra do Paraguai. Era só vir depois do almoço, que não tinha soldado e pronto.”

Fonte: Poder 360

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here