Prestes a completar dois meses no cargo de Secretaria Municipal de Saúde de Lagarto, Luíza Ribeiro foi convidada pela reportagem do Portal Lagartense a fazer um balanço da sua gestão. Contudo, na ocasião, a mesma teceu duras críticas ao modelo de gestão adotado na pasta durante a gestão do prefeito licenciado Valmir Monteiro, que está preso preventivamente no Presídio Militar, em Aracaju.

Segundo ela, quando assumiu o cargo, “a Saúde estava um caos”, com débitos referentes aos meses de dezembro de 2018 e janeiro e fevereiro deste ano. “Então tinha muitas coisas atrasadas e, por isso, a secretaria estava sem medicamentos, e eles [os fornecedores] não queriam entregar sem receber. O que é justo”, relembra.

Para além dos débitos, Luíza ainda afirmou que havia uma preferência na marcação dos exames. “Eu acho que a Saúde estava um caos, com uma falta de respeito a população, até porque não acho certo as pessoas precisarem de exame, e eu ter que reter para atender aos aliados. Hoje, eu acabei com isso, porque a prioridade tem que ser para todos. A cota reservada, por exemplo, eu devolvi para os postos, porque a secretaria tem que cuidar da parte administrativa”, conta.

Questionada sobre a resolução de tais problemas, a secretaria lembrou que foi realizada uma auditoria nas contas e, em seguida, o pagamento dos fornecedores que estavam com a documentação correta. Além disso, apesar de não citar números, Luíza ainda informou que realizou um enxugamento na pasta, e que a economia gerada será revertida na capacitação dos servidores da saúde. “Não adianta ter as coisas e não saber atender a população”, argumenta a secretária.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here