Nos últimos dias, o Governo Jair Bolsonaro informou que realizará cortes nos orçamentos de instituições públicas federais de ensino superior, a exemplo da Universidade Federal de Sergipe (UFS) e do Instituto Federal de Sergipe (IFS). No caso do IFS, o corte afetará 30% do orçamento global e atingirá fortemente o custeio, no percentual de 37,68%.

Medida forçou o IFS a suspender várias atividades

Segundo a reitoria do IFS, em nota divulgada na última segunda-feira (6), tais percentuais garantem o funcionamento da instituição. “Este bloqueio dificulta ao IFS honrar compromissos como água, luz, internet e os mais diversos contratos”, lamentou.

No caso do campus Lagarto, a situação é ainda mais grave. Em entrevista ao Papa-Jaca, o diretor do instituto, Osman dos Santos, estimou um corte de 45%. Ele ainda afirmou que, nos anos anteriores, a política de contingenciamento dificultou o trabalho da rede, mas “esse foi o maior”.

Medidas adotadas pelo IFS

Diante do impacto da medida do Governo Bolsonaro no funcionamento da instituição, o IFS informou que emitiu um memorando informando a tomada das seguintes medidas:

1) Suspensão das despesas com capacitação, exceto as que já tiveram empenhado à taxa de inscrição e/ou emitido as passagens aéreas. Serão priorizados os cursos in company;

2) Suspensão, a partir de 06 de maio de 2019, de todos os eventos integradores, que envolvam a participação de estudantes e servidores de diversos campi do IFS, exceto solenidades de formatura e/ou certificação trabalhos/atividades já aprovadas, e/ou eventos específicos do campus;

3)Sejam garantidas as realizações das visitas técnicas, mas, na medida do possível, com redução do número de docentes que acompanham os discentes, uma vez que os cortes não atingiram a Assistência Estudantil; e

4) Adoção de medidas de economia de água, energia elétrica, combustível e telefonia.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here