Na manhã desta terça-feira (2) a Polícia Federal (PF) deflagrou a Operação Dublê na cidade Lagarto. O objetivo é reprimir a prática de estelionato previdenciário e falsidade ideológica. Segundo informações da própria PF, após investigação, esta identificou que familiares de uma pessoas falecida em 2009 e que usufruía do Benefício de Prestação Continuada (BPC) continuaram recebendo indevidamente o benefício até 2017.

Assim que o INSS detectou o óbito, suspendeu o pagamento do BPC. Entretanto, uma irmã da pessoa falecida teria falsificado documentos pessoais desta e, passando-se pela finada, tentou reativar o pagamento junto ao INSS que indeferiu o pedido.

Por isso, estão sendo cumpridos dois Mandados de Busca e Apreensão expedidos pela 8ª. Vara da Justiça Federal da Subseção Judiciária de Lagarto/SE 

Contudo,  de acordo com a PF, a investigada pelo crime, ingressou com uma ação judicial, ainda fazendo uso dos documentos supostamente falsificados, pleiteando a concessão do benefício. O pedido foi indeferido em primeira instância, porém deferido em grau recursal, em razão dos documentos falsos apresentados.

Calcula-se que o prejuízo causado aos cofres da Previdência Social, até o momento, é de R$ 101.876,68. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here