No mundo atual onde vivemos, com avanços tecnológicos diários, novos negócios, surgimento e fim de profissões, torna-se algo imprescindível para os jovens e adolescentes, formas de ensino inovadoras. Esse entendimento é do deputado federal Fábio Reis (MDB), que defende a criação de uma política nacional com o objetivo de disseminar na escola pública a cultura do empreendedorismo.

“Acredito que com esse ensino é possível contribuir para a formação de jovens e adolescentes, através de uma proposta pedagógica inovadora, capaz de transformar as suas competências básicas em competências empreendedoras, duráveis, essenciais e necessárias ao seu desenvolvimento profissional, pessoal e futuro. Precisamos fazer chegar a ideia básica da cultura do empreendedorismo no ensino público”, defende o parlamentar.

Segundo Fábio Reis, ser empreendedor é muito mais do que a capacidade de criar e gerir empresas, aproveitar oportunidades, ter sucesso, gerar emprego, renda e riqueza. Mas pressupõe, acima de tudo, “a realização do indivíduo por meio de atitudes de inquietação, ousadia e proatividade na sua relação com o mundo. É despertar a criatividade, a busca de um crescimento pessoal e coletivo, através do desenvolvimento da capacidade intelectual para investigar e solucionar problemas, tomar decisões, ter iniciativa e orientação inovadora”, afirma.

Fábio Reis (MDB), defende política nacional com o objetivo de disseminar a cultura do empreendedorismo nas escolas públicas

Entre os bons exemplos já existente no país, Fábio Reis cita o Programa Nacional de Educação Empreendedora, concebido pelo Sebrae em 2013, com o objetivo de ampliar, promover e disseminar a educação empreendedora por meio da inclusão de conteúdos de empreendedorismo nos currículos dos diferentes níveis da educação: básica, profissional e superior.

Os números são promissores. Mais de 4 milhões de estudantes atendidos pelo programa; 120 mil professores capacitados nas metodologias do PNEE e parceria com 6 mil instituições por todo o país. “Vários resultados já foram apresentados graças ao programa, transformando pessoas com ideias em empreendedores com atitudes, protagonistas de suas próprias vidas, preparadas para atuar no mundo do trabalho, fazendo parte de um negócio ou como empreendedor”, relata.

Devemos aproveitar os casos de sucesso para expandi-los. “Unir forças entre os agentes públicos, entidades como o Sebrae, setor privado para criar no país a cultura do empreendedorismo já nas primeiras séries do ensino fundamental. É conhecimento que não se perde, mas que, pelo contrário, transforma vidas para melhor”, garante Fábio Reis.

Fonte: Assessoria de Imprensa

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here