Depois da veiculação de notícias dando conta que a Universidade Federal de Sergipe (UFS) poderia não retomar as suas atividades acadêmicas, por falta de recursos, a instituição divulgou uma nota descartando qualquer risco de paralisação das atividades acadêmicas.

Entretanto, segundo a UFS, caso o contingenciamento de 30% das despesas discricionárias permaneça até o final do exercício de 2019, haverá o risco de interrupção ou revisão de contratos de pessoal de apoio terceirizado (vigilância, limpeza, apoio administrativo, motoristas etc) e restrições quanto ao pagamento de insumos como água, energia, telefonia etc, por falta de empenho de créditos orçamentários. 

“Se não houver liberação dos limites de créditos disponíveis, a UFS deverá proceder ajustes nos contratos de maior valor, nos últimos meses do exercício de 2019”, acrescentou a instituição.

Ainda de acordo com a universidade, embora o contingenciamento atinja de igual modo todas as outras instituições do mesmo tipo, elas têm orçamentos distintos, razão pela qual o impacto nas despesas correntes tende a ocorrer em períodos (meses) e rubricas diferentes para cada instituição.

“A UFS dispõe de uma excelente equipe técnica responsável pela aplicação dos recursos liberados, permitindo que o planejamento orçamentário seja executado de modo eficiente, atendendo a todos os princípios da integridade e da boa governança”, destacou a UFS que encerrou a nota dizendo acreditar na  liberação integral do orçamento antes do encerramento do exercício de 2019.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here