A Bancada Federal de Sergipe definiu na quarta-feira (18) o Projeto de Lei Orçamentária (PLOA) para 2018. Na primeira reunião realizada na terça-feira (17), os parlamentares federais sinalizaram as duas emendas impositivas que o Estado tem direito.

Eduardo Amorim indicou R$ 100 milhões para desenvolvimento urbano (Foto: divulgação)
Eduardo Amorim indicou R$ 100 milhões para desenvolvimento urbano (Foto: divulgação)

Em um acordo mútuo entre situação e oposição, cada parte indicou uma emenda, o governo do Estado defendeu emenda para “apoio à Manutenção de Unidades de Saúde” e a oposição “apoio à Projetos de desenvolvimento sustentável local integrado” com aquisição de equipamentos e maquinários para 41 municípios na área da Codevasf. As duas emendas totalizam R$ 162,4 milhões ou R$ 81,2 milhões cada uma.

Cada um dos deputados e senadores tiveram o direito de indicar uma emenda.

Lagarto

Além da emenda individual do senador Eduardo Amorim, o município de Lagarto teve a indicação de R$ 40 milhões para reestruturação e expansão de Instituições Federais de Ensino Superior, a construção do prédio do Centro de Simulações e Práticas do Campus Universitário de Ciências de Saúde de Lagarto.

Aracaju

A capital receberá o apoio financeiro da bancada federal para apoio à manutenção de Unidades de Saúde, serão investidos R$ 120 milhões. O orçamento será utilizado para qualificar os serviços atendidos pelo município de Aracaju nos diversos bairros.

Itabaiana

O município serrano não ficou de fora das indicações dos parlamentares, receberá R$ 100 milhões para estruturação urbana e R$ 40 milhões para a construção de um terminal rodoviário. 

Nossa Senhora do Socorro

Outros R$ 100 milhões foram indicados para a política de desenvolvimento do município de Nossa Senhora do Socorro e R$ 70 milhões foram indicados para apoio à manutenção de Unidades de Saúde do município.

Educação

Os municípios de Nossa Senhora da Glória e São Cristóvão tiveram a indicação de R$ 40 milhões cada um. O orçamento tem o indicativo para a construção do Campus do Sertão e estruturação do campus de São Cristóvão; já outros R$ 50 milhões serão investidos em aquisição de veículos para transporte escolar da Educação Básica em todo o Sergipe. O Instituto Federal de Sergipe (IFS) terá uma de R$ 40 milhões.

Agropecuária e recursos hídricos

Para o fomento ao setor agropecuário serão investidos R$ 60 milhões, o recurso pode ser utilizado para a compra de máquinas e equipamentos para os municípios sergipanos; já outros R$ 40 milhões atenderão o apoio à manutenção de obras de infraestrutura hídrica em Sergipe. As emendas foram escolhidas e alinhadas entre deputados federais e senadores.

Por Infonet

3 COMENTÁRIOS

  1. Itabaiana SEMPRE muito à frente de Lagarto em tudo, mais uma vez eles recebem muito mais verba, e continuarão se desenvolvendo mais que a gente, não tenho inveja, mas uma cidade com mais de 100 mil habitantes não poderia receber só isso em comparação com uma cidade que tem 10 mil habitantes à menos.

  2. LAGARTO NÃO ESTÁ PRECISANDO DE TANTOS MILHÕES NÃO!! LAGARTO ESTÁ PRECISANDO É DE PROFISSIONAIS DE SAÚDE NO HOSPITAL QUE JÁ POSSUI! ESSE MANDO DE MAL INTENCIONADOS SÓ PENSAM EM MILHÕES EM EMENDAS. POR QUE NÃO SE JUNTAM E NÃO SOLICITAM DESSE GOVERNO CORRUPTO, MAIS DIGNIDADE NO ATENDIMENTO À POPULAÇÃO NOS HOSPITAIS JÁ EXISTENTES, POIS A GENTE CHEGA PRA UM SIMPLES PROCEDIMENTO EM UM FERIMENTO E NÃO ENCONTRA UM PROFISSIONAL HABILITADO PARA TAL. CHEGA MORRENDO DE DOR PRA FAZER CONSULTA AS 08 DA MANHÃ E SAI AS 3 DA TARDE (É FATO!!). DE QUE SERVE TANTO CONCRETO E O POVO MORRENDO! FORA TEMER COM SUA QUADRILHA DE DEPUTADOS INCONSEQUENTES.

  3. PARECE BOM, MAS NÃO É. A indicação de R$ 40 milhões para reestruturação das instituições federais de ensino é elogiável, mas para o desenvolvimento do Município, notadamente na questão estruturante, NADA. Tem razão o aborrecimento do chefe do Poder Público. Constrói um palacete tendo em sua volta mantém uma grande favela. Ora, não poderia, ao menos, destinar 10% dessa verba para melhoria do sistema viário da Sede e dos Povoados e de outras obras prioritárias? Temos que preparar a futura “Cidade da Cultura”, para que sirva da exemplo para o Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here