Na última terça-feira (27), a agressão sofrida pela Anne Patrícia, popularmente conhecida por Gurita, completou um ano de impunidade. Tanto é que ela utilizou as redes sociais para protestar.

Em seu desabafo, Gurita afirmou: “Infelizmente, até agora nada foi resolvido. É muito lamentável isso, só sabe o trauma a gente que passa por esse tipo de agressão, mas está entregue tudo nas mãos de Deus”.

Vale lembrar que, na noite de 27 de agosto de 2018, Gurita foi agredida em plena via pública, por um homem que desferiu socos e pontapés seguidos de palavras de baixo calão contra ela que é transexual. Como reflexo, a mesma desfilou em Lagarto escoltada por um segurança armado.

Após o crime e o início das investigações, a delegada Ana Carolina Machado, da Delegacia de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV), afirmou que os médicos do Hospital Universitário de Lagarto têm dificultado as investigações do caso de agressão contra a blogueira transexual. Enquanto o HUL afirmara que foi alinhado um fluxo de trabalho para atender as demandas da investigação policial.

Procurada pela reportagem do Portal Lagartense, Gurita afirmou que depois do embólio envolvendo as investigações, não lhe foi passada mais nenhuma informação sobre o caso. “A delegada nem me deu satisfação depois disso, mas me contaram que ela disse, em entrevista a JC, que o caso tinha sido encaminhado para o fórum”, destacou.

Mesmo assim, a blogueira voltou a lamentar a forma como o caso tem sido tratado. “O sentimento é de revolta, porque todo mundo comenta quem foi e ninguém faz nada. Ruim é pra quem passa”, desabafou.

Apesar da revolta, a transsexual afirmou que desfilará no próximo dia 7 de setembro, em Lagarto. Entretanto, desta vez, ela estará sem escolta pessoal e promete arrasar.

A reportagem do Portal Lagartense não conseguiu localizar a Delegada de Lagarto para falar sobre o assunto.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here