Grande parte dos problemas de saúde das pessoas estão relacionados à má alimentação como: obesidade, diabetes, hipertensão, doenças cardiovasculares, câncer, desnutrição, gastrites, colesterol elevado, entre outras.

No Dia Mundial da Alimentação, celebrado na última quarta-feira, 16 de outubro, a referência técnica do Serviço de Nutrição e Dietética (SND) do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), Sieune Roberta Araújo, destaca a importância em desenvolver hábitos alimentares saudáveis.

Cerca de 2,8 milhões de pessoas morrem a cada ano em decorrência do excesso de peso ou da obesidade, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Procurar comer frutas, verduras e legumes diariamente, variando o cardápio e deixando o prato mais colorido possível. Beber muita água, trocar refrigerantes por sucos naturais, procurar fazer uma atividade física também ajuda no bem estar da pessoa. Agora, se sentir dificuldade de inserir esses alimentos na rotina diária, é importante o acompanhamento de um nutricionista para elaboração de um cardápio personalizado e de acordo com as preferências e necessidades”, explicou a nutricionista.

Cerca de 2,8 milhões de pessoas morrem a cada ano em decorrência do excesso de peso ou da obesidade, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Além disso, a obesidade por si só tem um custo estimado de US$ 2 bilhões por ano, sendo boa parte gasta com hospitalizações decorrentes das complicações.

No Huse, Sieune Roberta, destaca que tudo é pensado com muito cuidado quando o assunto é alimentação com qualidade para o paciente, acompanhante e funcionário.

“No caso dos pacientes, em especial as dietas, são variadas de acordo com cada patologia. Temos tanto as dietas sólidas via oral, como as dietas líquidas e semilíquidas, além de um cardápio diferenciado e as dietas enterais, que são calculadas e individualizadas, a dieta que vai para um paciente não pode servir para outro e isso é feito pelos nutricionistas da equipe multidisciplinar de terapia nutricional”, disse.

Para funcionários e acompanhantes, a referência técnica informa ainda que a alimentação servida em todo o hospital é completa e conta com frutas, sucos, sobremesas, proteínas e carboidratos, tudo balanceado para assegurar uma boa qualidade da refeição.

O SND do Huse é terceirizado, a nutrição clínica é feita pelos nutricionistas da Secretaria de Estado da Saúde (SES), já a produção das refeições é terceirizada por uma empresa de alimentação contratada.

Fonte: SES

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here