Uma operação realizada em Gurupi, no Tocantins, na tarde deste sábado (26), possibilitou a prisão de Edson Alcântara Santana, 33 anos, mais conhecido como Ercinho. É ele que aparece nas imagens em uma churrascaria na cidade de Itabaiana e atira contra o secretário de Assuntos Institucionais e Defesa Social do município, Rauan Stefani Santos Santana, em junho deste ano.  

Edson Alcântara também possui mandado de prisão por envolvimento no homicídio que vitimou o escrivão da Polícia Civil Flávio Santos de Oliveira Matos, em junho de 2010. Na época, a Polícia Civil de Sergipe chegou a prender parte da quadrilha da qual Edson fazia parte, apresentada dias depois na Academia da Polícia Civil. Ele estava foragido há quase dez anos e também possuía um outro mandado em aberto por um roubo na agência nos Correio em Areia Branca.

Edson Alcântara também possui mandado de prisão por envolvimento no homicídio que vitimou o escrivão da Polícia Civil Flávio Matos em 2010.

A operação apenas foi possível depois de troca de informações entre várias forças de segurança pública. Houve intensas conversas entre a Divisão de Inteligência e Planejamento Policial (Dipol) da Polícia Civil de Sergipe, Delegacia Regional de Itabaiana, Companhia de Operações Táticas Rurais (Cotar) da PM do Ceará, Polícia Rodoviária Federal de Tocantins e Polícia Civil de Tocantins. Todas estas unidades acompanhavam alguns crimes praticados pelo investigado.

Outra unidade que participou da operação foi o segundo Batalhão de Ações Especiais da Polícia Militar de São Paulo. Esta unidade é responsável pelo policiamento em Praia Grande, litoral paulista, onde morava o “Ercinho”.

Segundo a Polícia Civil de Sergipe, “Ercinho” estava em Gurupi (TO) a fim de realizar roubos de cargas na região. A explicação de várias unidades envolvidas deve-se à ação criminosa do investigado em várias partes do país. As investigações continuam no sentindo de identificar outras pessoas envolvidas com o grupo.

Depois de determinação do secretário da Segurança Pública, João Eloy, foi montada uma força tarefa entre policiais civis do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope) e militares do 11o Batalhão da PM, que se deslocaram até Gurupi e deram cumprimento ao mandado de prisão contra. 

Ele será conduzido por uma equipe do Cope para Aracaju nos próximos dias, onde prestará depoimento aos investigadores. Na terça-feira (29), com horário ainda a combinar, a Secretaria da Segurança Pública irá promover entrevista coletiva para explicar as investigações.

Fonte: SSP/SE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here