O Acidente Vascular Cerebral (AVC), popularmente conhecido como “Derrame” é considerado pela Organização Mundial de Saúde a terceira maior causa de morte no mundo. (WORLD HEALTH ORGANIZATION, 2013). Considera-se que mais de 90 mil óbitos por ano somente na América Latina são decorrentes de AVC (OLIVEIRA, 2016).

A alta incidência e prevalência, caracteriza o AVC como sério problema de saúde pública devido a alta taxa de mortalidade e de incapacidade, além de custos elevados por requerer cuidados hospitalares e pós-alta hospitalar (RESENDE; SILVA, 2015).
As sequelas do AVC variam de acordo com o local, tipo e extensão da lesão, na maioria das vezes causam alterações cognitivas, motoras, sensoriais e autonômicas.

Dentre as inúmeras complicações adquiridas pelo paciente acometido pelo AVC ainda no ambiente hospitalar, estão as alterações de linguagem, deglutição, audição e equilíbrio.

A atuação da equipe multiprofissional de saúde, a exemplo do fonoaudiólogo, nutricionista, fisioterapeuta, entre outros, nesses casos, deve acontecer prioritariamente nas primeiras horas de internação hospitalar e de forma intensiva, visando diminuir ou impedir as sequelas.

A atuação dessa equipe multiprofissional da reabilitação, possibilita a melhora da funcionalidade das funções do paciente desde as primeiras horas do surgimento da condição de saúde visando reduzir os impactos negativos causados na qualidade de vida desse indivíduo (BORGNETH, 2004).

Outro fator importante é a avaliação audiológica, apesar de pouco realizada nessa população, pode fornecer grande auxílio diagnóstico para compreensão não só da extensão da lesão, como também, das consequências funcionais que nortearão as demandas do processo de reabilitação.

A avaliação audiológica do paciente com AVC ajuda identificar a presença de perda auditiva e os sintomas associados, como zumbido, dor na orelha e infecções. Seja por um quadro de presbiacusia (perda auditiva causada pelo envelhecimento) ou por alterações nas estruturas auditivas centrais causadas pelo AVC. Essa avaliação serve também para ajudar na reabilitação da fala, já que esta habilidade depende da audição.

Outra condição de saúde que pode ser alterada após AVC, muitas vezes colocada de lado pela maioria dos profissionais, é a função vestibular, responsável pelo equilíbrio. Por este motivo, qualquer lesão que esteja ao cérebro pode afetar o equilíbrio e a realização de algumas atividades cotidianas como caminhar, levantar-se e entre outras atividades do cotidiano.

Cada pessoa é única! Os projetos elaborados para cuidar e auxiliar o restabelecimento das funções comprometidas pelo AVC devem ser personalizados para ser efetivo.
Na clínica Hz, a compreensão sobre as necessidades e potencialidades de cada pessoa surge a partir do que ela revela desde o primeiro contato ou atendimento e aliado ao diálogo com a família e construído o plano de cuidados.

Na clínica Hz, você encontra uma equipe de profissionais médicos (clínico geral e otorrino), fonoaudiólogos, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, nutricionista, psicóloga, psicopedagoga, terapeuta holístico, preparados para cuidar de você e da sua família.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here