Na manhã desta quinta-feira, 31, a Prefeita de Riachão do Dantas, Simone Andrade (PCdoB), reuniu a imprensa da região, bem como populares e lideranças locais para explanar a real situação financeira encontrada no Município. Os dados apresentados são assustadores e foram capazes de demonstrar até que ponto a falta de compromisso e respeito ao bem público podem chegar.

Ato ocorreu na sede da Filarmônica Lira Nossa Senhora do Amparo

Para se ter uma noção da realidade financeira daquele Município, entre o dia 1° de janeiro deste ano e o último dia 19 de setembro, a Prefeitura de Riachão acumulou uma dívida total de R$ 3.749.807,87. Em contrapartida, para sanar os débitos, a prefeitura dispõe  – juntando os valores das contas da Saúde, da Assistência Social, do FUNDEB, e das Finanças Municipais – somente de R$ 4.266,19.

Desta dívida galopante, R$ 1,4 milhão é de débitos junto aos servidores que estão com seus salários atrasados, e R$ 2,3 milhões são de dívidas contraídas juntos aos fornecedores do Município. Mas os problemas não param por ai, pois a prefeitura acumula mais de 100 processos judiciais que resultaram em precatórios, além de uma frota de veículos sucateada e um limite prudencial de gasto com pessoal de 82,65%, quando o máximo permitido pelo Tribunal de Contas é de 54%. 

Em outras palavras, para cada R$ 100,00 que a gestão recebe, R$ 82,00 é destinado para o pagamento servidores. Aliado a tudo isso, a nova gestão municipal informou que alguns repasses importantes para a manutenção dos serviços públicos têm chegado de forma reduzida, como é o caso dos valores referentes ao ICMS, ou zerados como acontece com os repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

Simone Andrade: Estou assustada com tantos problemas, porque quem sofre com isso é a população”

Como resultado de tudo isso, a Prefeitura Municipal de Riachão do Dantas ficou sem crédito na praça. Os fornecedores já não querem mais vender, os médicos já não querem mais ir trabalhar, os servidores ficam com os salários atrasados, e a iluminação pública correndo o risco de ser cortada pela Sulgipe, a quem a prefeitura deve mais de R$ 500 mil.

Dívida foi criada

Em seu discurso, Simone Andrade afirmou que a iniciativa da gestão foi para evitar que casos como esses acontecessem novamente em Riachão do Dantas e lamentou não poder resolver todas as pendências de uma vez. “São obras inacabadas, equipamentos quebrados, então são situações complicadas. […] Se tivéssemos recursos, nós conseguiríamos resolver os problemas”, lamentou a prefeita.

Sem recursos, gestão acumula dívidas e perde o crédito na praça

Já o Secretário de Controle Interno, Márcio Alves, disse que “Riachão está afundado em dívidas e sem credibilidade” e que “Agora não cabe mais retrocesso”. Enquanto o advogado Gilton Freire destacou que “Essa não foi uma realidade que caiu do céu, ela foi criada. […] Isso ocorreu por causa de diversos processos movidos contra a gestão e que a deixam comprometida. Esses processos, em sua maioria, são de servidores que foram desrespeitados e que não nos cabe criticá-los, pois eles provaram o desrespeito aos seus direitos em gestões anteriores”.

O futuro de Riachão do Dantas

Diante de tantas dificuldades a gestão riachãoense anunciou que seu slogan é “Trabalhar pra construir o futuro”. Neste sentido, em entrevista ao Portal Lagartense, a prefeita Simone informou que até o final do ano colocará os seus projetos de campanha em prática, uma vez que aguarda uma decisão judicial que pode aliviar a situação financeira do Município.

“Tenho perspectivas de poder regularizar os salários, principalmente, dos efetivos até dezembro. Algumas situações vamos ter que negociar com a categoria e parcelar. Então temos vários projetos para colocar na Agricultura, na Saúde, na Educação, na Assistência Social, e aos poucos colocaremos elas em prática. Não já colocamos por causa das dívidas, mas assim que pudermos algumas delas serão colocadas em prática neste ano e no próximo todas estarão em benefício da população”, acrescentou.

Em relação ao pagamento dos salários, Simone disse que estes estão sendo realizados priorizando os servidores efetivos e que os vencimentos em atraso serão realizados negociados e parcelados. “Vamos trabalhar com ética e transparência, pois tenho esperanças que dias melhores virão. Eu fui eleita pelo povo e para trabalhar pelo povo, e assim farei. Só peço a compreensão de todos que em breve estaremos trabalhando como deve ser trabalhada uma gestão pública”, finalizou.

Simone: Vamos colocar os projetos em prática já no final deste ano (Fotos: Jadilson Santos)

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here