Atualmente, o Brasil tem se tornado um país mais adepto às dietas vegetarianas. Uma pesquisa feita pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (IBOPE) em 2018, encomendada pela Sociedade Vegetariana Brasileira, mostrou que 14% dos brasileiros se declaram vegetarianos. Um aumento de mais de 50% em relação aos dados que foram coletados em 2011.

A procura pelo cardápio saudável também é refletida entre aqueles que consomem carne. Segundo a mesma pesquisa, 55% dos entrevistados afirmaram que consumiriam mais produtos veganos se as embalagens deles indicassem isso melhor. Porcentagem que chega a 65% nas capitais.

Os quase 30 milhões de vegetarianos no Brasil mostram uma tendência mundial recente. Impulsionadas, sobretudo, pela geração mais jovem, os millenials, cada vez mais pessoas buscam consolidar uma dieta que seja mais sustentável, ética e saudável.

No caso do veganismo, não é apenas uma mudança na alimentação, mas também no estilo de vida. As pessoas veganas procuram excluir de suas vidas, na maior medida possível, os produtos de origem animal. Elas visam à libertação da exploração animal, abdicando de usufruir qualquer coisa que possa ser originária dessa prática.

Então, elas não apenas deixam de comer carne, mas também não consomem ovos e derivados do leite. Os veganos também não usam roupas de couro, lã ou pele, assim como evitam comprar produtos e contratar serviços que testam seus itens em animais.

Cardápio vegano em festas

E uma das consequências do maior número de interessados nesse estilo de vida fica por conta da organização de festas e eventos. Seja coquetéis, casamentos ou festas de aniversário, os anfitriões se preocupam, cada vez mais, com a montagem de um buffet que possa incluir comidas veganas, formando um cardápio mais saudável.

O caso do casamento talvez seja o que mais se destaque, pois a organização do cardápio deve começar meses antes. É preciso tomar cuidado para que nenhum dos pratos servidos, da degustação até os doces e a mesa de café, inclua alimentos provenientes de animais.

Existem várias alternativas para a montagem desses cardápios. Os aperitivos da festa, normalmente empadinhas e minissanduíches, podem ser substituídos por frutas secas, frutas da estação e minitorradas de pão integral. Há a possibilidade até mesmo de servir um falso pão de queijo, feito à base de aipim, batata ou inhame.

A entrada, normalmente, envolve servir alimentos mais leves. Uma aposta segura e certeira costuma ser porções de salada, que podem envolver cenoura, tomate, azeitona e diversos tipos de folha. A contratação de uma equipe de buffet, que ajude as pessoas a montarem o próprio prato, também é recomendada.

O prato principal é a parte crucial da montagem do cardápio. O ideal é pensar em dois ou três pratos para serem servidos aos convidados. As opções são diversas: escondidinho de cogumelo, risoto de arroz vermelho, hambúrguer de grão-de-bico com espinafre, curry de lentilha, polenta com ragu de cogumelos e suflê de legumes.

Ao pensar nos doces e nas sobremesas da festa, é preciso se lembrar que eles não podem ser feitos utilizando leite e ovos. Normalmente, os bolos veganos contam com açúcar, cacau, farinha e óleo de coco. Outras dicas possíveis são creme de pera com hortelã, flan de laranja e mousse de leite de coco com baunilha e calda de frutas amarelas.

A mesa de café pode incluir biscoitinhos veganos, que podem ser difíceis de encontrar, mas com a devida antecedência, podem ser arranjados. Para acompanhar o café, pode-se utilizar tanto adoçante quanto açúcar, podendo optar até pelo orgânico, que é ainda mais saudável.

Por fim, para compor as bebidas, pense em um cardápio envolvendo caipirinhas de frutas da estação e águas saborizadas, com o uso de alguma fruta. Verifique se o vinho, cerveja ou outra bebida alcoólica escolhida também não contém o uso de nenhum ingrediente de origem animal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here