Reformar a casa própria ou mesmo uma casa alugada é uma grande responsabilidade. Deixar a casa do nosso jeitinho é um sonho, mas é preciso tomar cuidado com certos descuidos comuns para não elevar o orçamento e adquirir uma dívida financiando a reforma. 

Existem programas do governo e linhas de crédito em bancos privados para quem deseja financiar a reforma de um imóvel. Essa é uma modalidade de empréstimo vantajosa, com juros mais baixos que os do empréstimo pessoal, por exemplo. 

Como funciona o financiamento de reforma? 

A maioria dos bancos oferece linhas de crédito para reformas de imóveis residenciais e comerciais. Dependendo da renda do consumidor, é possível obter um bom crédito, que pode cobrir até 100% do valor da reforma do imóvel. 

O solicitante deve comprovar renda, não ter o nome negativado e ter o imóvel da reforma regularizado em seu nome. Toda a documentação deve ser apresentada com antecedência. 

O banco fará a análise das informações do imóvel e da renda do consumidor. Como as parcelas não podem passar 30% da renda mensal do consumidor, o crédito pode ser um pouco limitado ou o prazo de pagamento ficará um pouco mais longo. O crédito é liberado após aprovação do empréstimo. 

Quais são os principais erros cometidos por quem financia reformas? 

Mesmo que seja uma vantagem, afinal, é uma modalidade de empréstimo mais barata do que outras no mercado, o financiamento de reformas pode representar riscos financeiros, caso não seja bem calculado pelo consumidor. 

Confira abaixo os principais erros cometidos ao financiar reformas:

Superfaturar o orçamento 

Geralmente, as obras nunca saem como o planejado. Na maioria das vezes, acontecem imprevistos, sendo necessária a contratação de mais mão de obra ou o prolongamento da reforma por mais uns dias. Os custos com materiais também podem aumentar e sair do orçamento previsto. 

Por isso, é muito importante planejar bem o orçamento, sempre deixando uma porcentagem de “respiro”, caso imprevistos aconteçam. Dessa forma, você não corre o risco de contrair uma dívida para financiar sua reforma e deixar a obra inacabada. 

Afinal, se você optou por financiar uma reforma, provavelmente você não tem uma boa reserva de dinheiro. Isso pode indicar que você conta somente com o crédito liberado pelo banco. 

Então, já pensou se além das parcelas mensais do financiamento, você também tiver que gastar mais dinheiro do próprio bolso para finalizar a obra? Isso pesará bastante no seu orçamento e poderá fazer com que você não honre com a dívida adquirida. 

Crédito acima do orçamento 

Muitas pessoas pedem um crédito alto aos bancos para financiar suas reformas, e por conta dos juros e do prazo de pagamento, elas podem estar contraindo uma dívida que não poderão pagar. 

As parcelas do financiamento não podem passar de 30% da renda, mas bem sabemos como mesmo esses 30% fazem falta no nosso dia a dia. Por isso, o ideal para não superfaturar a sua reforma é pegar um valor que não seja exorbitante. 

Uma boa ideia para diminuir os custos sem perder a qualidade nos materiais da sua reforma é contratar um pedreiro ou engenheiro de confiança para orçar a obra. Esses profissionais trabalham na área e podem indicar opções mais baratas para a realização da sua reforma. 

Pegar um crédito muito alto pode tornar o pagamento da dívida difícil, o que aumenta as chances de inadimplência. O ideal é solicitar um crédito que encaixe em sua reforma e verificar as condições propostas pelos bancos. Assim, você pode ter uma ideia se o financiamento da reforma realmente cabe dentro do seu orçamento. 

Tome cuidado na hora de financiar a reforma do seu imóvel, é preciso ter uma enorme cautela e fazer todos os cálculos necessários para realizar a operação. Tenha bastante segurança para solicitar esse tipo de crédito para não contrair uma dívida desnecessária. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here