Entre os benefícios de viver em São Paulo, pode citar a rica variedade de lojas e produtos no comércio da cidade, que atendem todos os gostos. A maior cidade do país também é um importante polo cultural, que conta com uma diversificada rede de eventos, sejam shows, exibições artísticas ou peças de teatro.

Mas se a capital paulista tem um problema, é o seu alto custo de vida, principalmente para se morar. É verdade que a renda média dos paulistanos é superior a outras cidades brasileiras, mas encontrar apartamentos na capital que tenham preços acessíveis, seja para comprar ou alugar, tem se tornado uma tarefa cada vez mais difícil.

Tendências

O mercado imobiliário da cidade sofreu uma queda na quantidade de novas residências vendidas em 2016, atingindo o valor mais baixo desde 2004. Na época, era o auge da crise econômica do país. Entretanto, desde então, o setor vem se recuperando e sendo reaquecido, aumentando a quantidade de imóveis sendo vendidos.

Uma vez que a crise econômica ainda não foi totalmente superada, percebeu-se uma mudança no padrão de procura de onde deseja-se morar. Especialistas apontam um crescimento na procura de imóveis de até R$ 400 mil. Eles costumam ser unidades menores, de um ou dois quartos, mas que também são mais baratos.

Assim sendo, quem deseja vender imóveis maiores, de três quartos, tem encontrado uma maior dificuldade. Esse empecilho pode ser um possível trunfo para quem deseja comprá-los, pois a baixa procura pode ajudar a negociar preços mais baixos. 

Bairros mais caros e baratos para se morar

O preço do metro quadrado na cidade varia muito de bairro para bairro, levando em conta vários aspectos. Entre eles, estão a localização, a disponibilização de estabelecimentos comerciais no entorno, o trânsito da região, além da presença de parques municipais e praças na região.

Um levantamento feito pela Imovelweb da revista Exame no último ano separou, por região da cidade, os locais mais baratos e mais caros para se morar na capital paulista.

Centro

No Centro, os bairros do Pacaembu, Consolação e Higienópolis são os mais custosos, no qual o m² chega a R$ 10 mil. A localização mais barata da região é Bom Retiro, com o m² de cerca de R$ 6 mil. Ele é seguido por Campos Elísios, Sé e Cambuci, no qual o preço não supera a casa dos R$ 7 mil.

Zona Leste

Na Zona Leste, os locais mais baratos para se morar são o Chácara Santa Etelvina, com pouco mais de R$ 2 mil o m², e o Conjunto Residencial José Bonifácio, em média R$ 3,2 mil. Ainda são opções viáveis Guaianases, São Miguel Paulista e Artur Alvim, sendo que o preço não chega a R$ 4 mil.

Por outro lado, o preço mais caro da região é do Jardim Anália Franco, com R$ 8,7 mil. O bairro é seguido pelo Parque da Vila Prudente — este, já na casa dos R$ 7,7 mil —, Vila Regente Feijó, Vila Gomes Cardim e Alto da Mooca — que tem um preço de R$ 7,4 mil por m².

Zona Norte

Os bairros mais caros da Zona Norte têm um metro quadrado em uma faixa parecida aos da Zona Leste, sendo ligeiramente mais em conta. Eles são o Carandiru, Santa Teresinha, Parada Inglesa, Santana e Casa Verde, todos a partir de R$ 7 mil.

Já os mais baratos, começando pela Casa Verde Alta, que tem o m² avaliado em R$ 5,2 mil, também conta com Vila Bela Vista, Jaçanã, Barro Branco e Cachoeirinha. Este, não ultrapassa o teto de R$ 5,5 mil.

Zona Oeste

As zonas Oeste e Sul são onde se encontra os bairros mais caros. Na Oeste, é mais custoso morar no Jardim Europa, em que o m² é avaliado em R$ 17,6 mil. Ele é acompanhado de Itaim Bibi, Vila Olímpia, Jardim América e Alto de Pinheiros, que já apresenta uma diferença considerável: R$ 11,4 mil o metro quadrado.

Quem precisa morar por ali pode encontrar uma saída nos bairros Raposo Tavares e Jardim Boa Vista, nos quais o m² é avaliado em R$ 4,4 e R$ 4,6 mil, respectivamente. Outros bairros mais em conta da região são a Vila Pirituba, o Jaraguá e o Parque Continental.

Zona Sul

Por fim, a Zona Sul tem o bairro mais caro da cidade: Ibirapuera, custando R$ 19,1 mil o metro quadrado. Outros bairros da região que são caros, variando entre R$ 10,7 mil e R$ 16,8 mil, são Indianópolis, Moema, Cidade Monções e Vila Nova Conceição.

Com preços entre R$ 4,3 mil e R$ 4,9 mil, os bairros mais em conta da região são, respectivamente, Vila São José, Cidade Dutra, Paraisópolis, Campo Limpo e Jardim Ângela.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here