Aproximadamente 60 formandos do curso de Direito procuraram a 1ª Delegacia de Polícia Metropolitana, em Aracaju, na última terça-feira, 14, para prestarem um Boletim de Ocorrência (B.O.) contra a empresa contratada para organizar a festa de formatura da turma. 

Isso porque os estudantes descobriram, faltando apenas quatro dias para a tão desejada celebração, que a empresa KGB não havia pagado os fornecedores, inviabilizando sua realização, que estava marcada para a próxima segunda-feira, 20. Ao todo, a comissão de formatura alega que foram pagos R$ 380 mil para a empresa.

A prestadora era responsável pela organização da missa, do culto ecumênico, aula da saudade, colação de grau e o baile de formatura. 

“Não é só o dinheiro, é um sonho que a empresa tirou de todo nossa família. Tem uma formanda que vem 40 pessoas de Recife, já estão com a passagem comprada, não tem como cancelar. Queremos nossa formatura, só que até agora nada”, disse a representante da comissão dos formandos, Luciana Costa, que chegou a parar no hospital quando soube do fato. 

Para evitar transtornos

A técnica da Fundação Procon de São Paulo, Márcia Christina Oliveira, aconselha que antes da contratação da empresa, é preciso conferir as reclamações de clientes contra a prestadora de serviços, o que pode ser feito no site do Procon.

“A pessoa também pode ver como a empresa trata esse assunto”, afirmou Oliveira, lembrando que  também é possível pesquisar em outros endereços eletrônicos a atuação da companhia, tempo de existência no mercado. 

A técnica aconselha ainda que os representantes dos alunos assistam, como convidados, outros eventos realizados pela prestadora do serviço. 

Com informações do Infomoney

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here