O Hospital Universitário de Lagarto (HUL) emitiu uma nota, na última quarta-feira, 14, explicando que o aumento no tempo de espera dos pacientes não urgentes aumentou em alguns dias da semana, devido a elevação significativa do número de atendimentos a pacientes de maior gravidade neste início de ano. 

Ainda de acordo com a unidade hospitalar, apesar de nas demais clínicas, como a Pediátrica, Ortopédica e Cirúrgica, o atendimento vir acontecendo com regularidade, o eixo-crítico – que compreende as alas vermelha e amarela, responsáveis por acolher pacientes classificados como urgentes, emergentes e muito urgentes – têm atingido e até ultrapassado a sua capacidade máxima de atendimento, tratando sobretudo usuários de idade mais avançada e pacientes com patologias crônicas.  

Somente nos último cinco dias, HUL prestou 752 atendimentos.

Outro setor que também vem sendo impactado pelo aumento da demanda é a Observação do Pronto Socorro do hospital, voltado para pacientes de menor gravidade, “o que termina superlotando esse espaço físico da unidade hospitalar e contribuindo também para o aumento do tempo de espera por atendimento”, diz a nota. 

Atendimentos

O HUL ainda informa que somente nos último cinco dias prestou 752 atendimentos e que, desse total, 23% dos usuários foram direcionados para o eixo-crítico do hospital, sendo os demais classificados como não urgentes ou pouco urgentes, segundo o protocolo de acolhimento e risco adotado pela unidade hospitalar. Ainda no mesmo período, o hospital  internou 56 pacientes nas clínicas Médica, Pediátrica, Ortopédica, Cirúrgica e Urológica.  

Para sanar esse problema e evitar uma espera e desconforto maiores, o HUL recomenda que os pacientes sem maior gravidade, ou não urgentes, também procurem as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) ou as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de Lagarto.

O hospital finaliza dizendo que, de acordo com o protocolo assistencial de Acolhimento com Classificação de Risco (ACCR), adotado pelo HUL e preconizado pelo Ministério da Saúde – o protocolo Manchester -, a prioridade está relacionada à gravidade de cada caso. “Quem mais precisa, os casos mais urgentes são atendidos primeiro. Os casos mais leves ou menos graves são atendidos em seguida. O ACCR utiliza um sistema de cores para organizar o atendimento e acolher a todos os usuários que procuram a unidade hospitalar”.

Leia também: HUL e Prefeitura firmam acordo para atendimento de pacientes de baixa complexidade

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here