De acordo com a revista Forbes, “as fintechs são o futuro do mercado bancário”. Apesar de o termo ainda ser novidade para algumas pessoas, está ganhando adeptos ao redor do mundo, e com o Brasil não seria diferente.

O termo em inglês denomina a perfeita junção entre tecnologia e finanças (financial technology), ou seja, traz o melhor da modernidade para resolver assuntos burocráticos. Essa facilidade vai contra a prerrogativa de algumas instituições financeiras tradicionais, que agora precisam se adaptar às boas-novas.

Quer saber um pouco mais sobre as fintechs e o que as faz inovadoras? Basta continuar com a leitura:

Afinal, o que são as fintechs?

As fintechs são startups que atuam para facilitar a vida do indivíduo na hora de lidar com assuntos referentes ao sistema financeiro. Elas conseguem fazer isso por meio da tecnologia, que possibilitou a desburocratização de vários processos.

A sua definição formal é: “empresa que usa tecnologia intensiva para oferecer produtos na área financeira”. Em suma, elas podem ser lidas como bancos móveis, capazes de serem geridos pelo smartphone dos usuários.

Para ser denominada como fintech, uma instituição necessita ter uma base tecnológica solidificada, além de um modelo de negócio altamente escalável.

Quais são as vantagens das fintechs?

Existem inúmeras vantagens que rodeiam as fintechs. Confira as principais abaixo:

Praticidade

As fintechs são altamente práticas, pois elas pensam nas necessidades atuais da sociedade. Isso inclui introduzir o digital em processos tradicionais. Com isso, não é necessário, por exemplo, se dirigir até uma agência para transferir dinheiro.

Menor burocracia

Todos nós sabemos como o Brasil é um país altamente burocrático, não é mesmo? As fintechs tentam nadar contra essa maré, evitando que o cliente passe por situações desnecessárias. Com elas, todas as informações ficam na palma da mão, ou seja, o pesadelo das filas desaparece.

Custos baixos

Os custos se tornam mais baixos a partir do momento em que as fintechs aplicaram modelos que barateiam processos financeiros. Os maiores exemplos são as transferências por DOC e TED. Agora, tudo pode ser resolvido por meio de uma carteira digital, sem a presença de uma instituição bancária tradicional.

Impacto Social

O impacto social das fintechs é inegável. A acessibilidade promovida por essas startups, devido à tecnologia, compreende a toda a população, bastando apenas, que esta possua um smartphone com internet em mãos.

Esse impacto também é visto no meio ambiente, uma vez que os bancos e instituições financeiras tradicionais imprimem uma quantidade exorbitante de papéis por dia, ao contrário das fintechs.

No Brasil, quais são os cases de sucesso?

O Brasil já está vivendo a “era das fintechs”. Algumas dessas startups já veem o nosso país, inclusive, como um case de sucesso. Por mais que haja uma intervenção do governo federal e do Banco Central, é inegável o impacto que as fintechs estão causando.

Veja quais são as mais populares:

  • Nubank;
  • PicPay,
  • PayPal;
  • Digio;
  • Next,
  • SoFi.

Por que elas são tão inovadoras?

As fintechs são inovadores justamente por mudarem toda uma ideia que já estava difundida dentro da nossa sociedade. Anteriormente, quando pensávamos em resolver assuntos financeiros, já imaginávamos toda a burocracia que viria: desde as filas de bancos até inúmeros papéis a serem assinados.

Hoje, graças ao avanço e democracia da tecnologia, tudo está acessível na palma das nossas mãos, principalmente por meio de aplicativos para smartphones. O consumidor final se viu, pela primeira vez, em uma situação mais cômoda e menos estressante.

As fintechs não destruirão o poder das instituições financeiras tradicionais, mas as fez mudar todo um processo de logística, transformando, assim, todo o setor financeiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here