Na sessão plenária da última terça-feira, 10, o vereador-presidente da Câmara Municipal de Lagarto, Eduardo de João Maratá, fez um discurso de pouco mais de 12 minutos para explicar o ocorrido na última quinta-feira, 05, quando foi parar na delegacia após desentendimentos no fórum de Lagarto.

Eduardo Maratá, presidente da Câmara Municipal de Vereadores de Lagarto

Segundo o vereador-presidente, o desentendimento e a sua condução à delegacia por desobediência foram o resultado da forma “truculenta” com que um policial militar que estava na unidade o abordou, a fim de que ele mudasse de local. Uma vez que ele havia ido ao fórum para ser testemunha de defesa de um cidadão que ali seria julgado.

Diante disso,  Eduardo de João Maratá informou que foi até a Delegacia Regional de Lagarto pacificamente e que, nos próximos dias, tanto ele como o policial devem ser ouvidos pela justiça. Já que ele foi conduzido por desobediência e afirma ter prestado um Boletim de Ocorrência contra o policial por abuso de autoridade. “Ainda nesta semana, estarei indo à Corregedoria denunciar esse abuso”, disse o vereador-presidente.

Além disso, devido ao peso do seu cargo na política lagartense, o presidente da Câmara Municipal de Lagarto lamentou a utilização das manchetes sobre o ocorrido por algumas pessoas, dentre as quais o advogado e pré-candidato a vereador Eduardo Maia, que  -segundo ele – utilizou-se do fato para se promover politicamente. “Ele tem é que mostrar o trabalho dele, porque se for dessa forma ele não vai chegar a lugar algum”, criticou.

– Confira o pronunciamento do vereador-presidente da Câmara de Lagarto:

3 COMENTÁRIOS

  1. Bela imagem a política vem desenvolvendo perante a sociedade. A questão é que tudo gira em torno dela, devido isso o povo agem com total falsidade ao apoia-los.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here