Em virtude da necessidade do isolamento social e da suspensão de aglomerações, o Bispo da Diocese de Estância, Dom Giovanni Crippa, editou um decreto suspendendo diversas atividades das paróquias de Lagarto e região, a exemplo das missas com a presença dos fieis. O decreto foi publicado no dia 18 de março e é válido por tempo indeterminado.

Desde então, as redes sociais ganharam ainda mais importância na vida da Igreja Católica Apostólica Romana. Uma vez que as missas passaram a ser transmitidas por lives no Facebook e no Instagram. Nessas ocasiões, as portas das igrejas ficam fechadas e o acesso restrito ao padre e alguns poucos assessores. Mas como os sacerdotes estão lidando com esta situação?

Para responder a essa questão, o Portal Lagartense entrevistou dos padres que atuam no município de Lagarto: Paulo Sezar Bispo dos Santos, vigário da Paróquia de Nossa Senhora da Piedade; e José Uelinton dos Santos, pároco da Paróquia de Santa Luzia. O primeiro tem cinco anos de sacerdócio e o segundo apenas três.

Sensação muito estranha e prazerosa

Padre Paulo Sezar

Paulo Sezar destacou que as redes sociais têm desempenhando um papel fundamental neste momento, apesar de ainda não atrair um grande número de fiéis por questões tecnológicas. “Não é um número tão grande de espectadores, porque tem senhoras que não sabem lidar com a tecnologia. Porém, a adesão das missas do domingo é muito boa”, destacou.

Em relação a estada no altar com os bancos vazios, Paulo Sezar comentou: “Passei por essa experiência no domingo, quando celebrei a noite na Igreja do Rosário e foi uma sensação muito estranha em se tratando da missa, por ver os bancos vazios, mas ao mesmo tempo prazerosa, porque temos aquela certeza de estarmos pastoreando neste momento tão difícil em que o isolamento social é mais do que necessário”.

Novidade marcada pela solidão e também pela união

Padre José Uelinton

Já o padre José Uelinton lembrou que embora o rito missal defina dois estilos de  celebrações, uma com e outra sem o povo, para ele a experiência está sendo uma novidade. “Agora está sendo uma experiência nova, na qual fisicamente me sinto sozinho, mas espiritualmente sabemos que a oração nos une”, observa.

Além disso, o padre afirmou que era “impossível imaginar subir ao altar e ver o público vazio”, porque no seminário ele foi preparado para momentos junto ao público. “Nós imaginamos muito esse momento de interação com os fiéis, porque nós estamos sendo preparados para tal. Então se cria uma grande expectativa, porque a gente nunca passou por essa experiência de celebrar sozinho por muito tempo. É até doloroso, porque recebo mensagens de fiéis dizendo sentir falta da Santa Missa e da Santa Eucaristia, que representa diante da nossa fé o corpo e o sangue de nosso senhor Jesus Cristo”, completa.

Semana Santa transmitidas pelas redes sociais

Com a pandemia do novo coronavírus, as celebrações alusivas a Semana Santa restritas a transmissões pelas redes sociais. Segundo informações apuradas pelo Portal Lagartense, neste momento, para colocar algum ato na rua é necessária a aprovação da Diocese de Estância, que já proibiu a realização de missas, tríduos e procissões.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here