Recentemente, os presidentes de mais de 100 clubes brasileiros formularam uma carta conjunta solicitando maior apoio da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) durante este período de isolamento social e de suspensão das atividades esportivas em decorrência da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). O presidente do Lagarto Futebol Clube, Robson Santos, assinou o documento.

Passado alguns dias, a CBF anunciou algumas das medidas solicitadas, tais como: isentar por tempo indeterminado todos os clubes das taxas relativas ao registro de contratos e à transferência de jogadores, e conceder um auxílio financeiro no valor equivalente a duas vezes a folha salarial média dos atletas aos clubes das Séries C e D, além dos clubes femininos que disputam as Séries A1 e A2 do Brasileiro.

CBF doará R$ 360 mil ao futebol sergipano

Em relação ao auxílio financeiro, em Sergipe, a Federação Sergipana de Futebol, a Associação Olímpica de Itabaiana e o Frei Paulistano receberão cada um o auxílio de R$ 120 mil, o que totaliza um aporte financeiro de R$ 360 mil no futebol sergipano. Segundo a CBF, o pagamento dos valores destinados aos clubes foi realizado na última terça-feira, 07.

Já a isenção de taxas relativas ao registro de contratos e à transferência de jogadores foi considerada a mais acertada pelo presidente do Lagarto FC, que em entrevista ao Portal Lagartense afirmou esperar uma economia de aproximadamente R$ 30 mil nas próximas competições, a exemplo da Copinha. Uma vez que, apesar de estar rebaixado, o Clube dará continuidade ao trabalho de base a fim de continuar sendo uma vitrine esportiva. 

“Em termos de taxas para montar um elenco para uma competição, a gente gasta aproximadamente R$ 30.000,00, isso há dois ou três meses antes do início dela, porque precisamos testar os atletas no elenco e a medida em que há a evolução do grupo com a chegada de atletas de outros clubes para deixar o elenco mais forte, o gasto com as taxas de inscrições acaba oscilando.

E muito embora o preço dessas taxas sejam diferentes em cada competição, foi justamente essa isenção que vínhamos reivindicando, porque está tudo parado, os patrocinadores têm outras prioridades e a gente tem o pessoal que cuida do CT, a comissão técnica, o aluguel do alojamento e outras despesas básicas que precisam serem mantidas, e sem receita não dá para a gente manter todas essas coisas. Por isso, estivemos apresentando algumas reivindicações naquela carta”, explicou Robson Santos.

Outras medidas anunciadas pela CBF

– Adiantamento de uma parcela de R$ 600.000,00 (Seiscentos mil reais) para os clubes da Série B do Campeonato Brasileiro referentes aos direitos de TV da competição, feito com recursos próprios da CBF, no valor total de R$ 12.000.000 (Doze milhões de reais).

– Adiantamento aos árbitros do quadro nacional do pagamento de uma taxa de arbitragem, calculada a partir da maior taxa paga pela CBF em 2019 para sua categoria, no valor total de R$ 900.000,00 (Novecentos mil reais).

“Com isso, as doações e isenções da CBF aos clubes e Federações alcançam R$ 23.120.000,00 (Vinte e três milhões, cento e vinte mil reais). Somadas aos R$ 12.900.000,00 (Doze milhões e novecentos mil reais) em adiantamentos, as ações da CBF representam um total de R$ 36.020.000,00 (Trinta e seis milhões e vinte mil reais)”, destacou a CBF.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here