A segunda parcela do auxílio do programa social “Cartão mais Inclusão”, que versa sobre um benefício de R$ 100, durante o período de quatro meses, podendo ser prorrogado por mais quatro meses, aprovado pelos deputados estaduais na Assembleia Legislativa, começará a ser paga no próximo dia 10. A proposta do Executivo tem a intenção ajudar na questão da segurança alimentar e nutricional durante esse período de quarentena por conta da pandemia gerada pelo novo coronavírus (Covid-19).

Ao apresentar tal medida social, o governo falou em um investimento da ordem de R$ 40 milhões com uma previsão de atendimento a cerca de 36 mil famílias, que seriam de baixa renda, já cadastradas pela Secretaria de Inclusão. Ao todo, inicialmente, estão sendo beneficiadas 24.989 pessoas.

Ainda segundo o governo os beneficiários já foram identificados a partir da base do Cadastro Único para Programas Sociais – CadÚnico, através do cruzamento dos critérios: possuir renda mensal de até 89 reais e não estarem recebendo nenhum outro benefício pago pelo governo estadual (Aluguel Social e Programa Mão Amiga) – neste momento inicial, contudo, o programa priorizará as pessoas com renda de até 65 reais e que não possuam acesso a nenhum outro benefício (inclusive Bolsa Família), pois são as que se encontram em maior vulnerabilidade.

A partir do mês de maio, o governo estabeleceu o dia 10 para a recarga mensal do benefício. Os cartões foram encaminhados para as Prefeituras Municipais que fizeram a entrega aos beneficiários, que, de imediato, puderam realizar a compra de alimentos nos estabelecimentos credenciados pelo Banese nos municípios, através da senha pessoal que acompanhou cada cartão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here