Em virtude do ano eleitoral, o Portal Lagartense entrevistou Michel Rodrigues. Pré-candidato a vereador de Lagarto pelo Partido Social Liberal (PSL), ele nos contou um pouco de sua vida, de seus projetos políticos e também falou sobre a atuação situação dos partidos pequenos em atividade no município.

Michel também disse que escolheu o PSL por falta de oportunidade nos agrupamentos tradicionais do município e também afirmou que um dos maiores desafios da política local é encontrar pessoas que pensem no melhor para a população e não em seus interesses pessoais.

Confira a entrevista na íntegra:

Portal Lagartense: Quem é Michel Rodrigues?

Michel Rodrigues: Meu nome é Michel Dantas Rodrigues. Nasci em Aracaju, sou filho de Rosanio Santos Rodrigues, popularmente conhecido por Cabo Rosano, e de Rita Valéria Dantas, um aposentada que trabalhou a vida toda na feira e que, infelizmente, hoje depende de um tratamento renal. E sou um cara que sempre lutei, pois sempre quis a minha independência.

Michel Rodrigues é filho do PM popularmente conhecido por Cabo Rosano

Por isso, comecei a trabalhar na feira livre aos 15 anos, mas lamento que ela não exista mais; aos 18 anos, fui balconista da moto peças do grande amigo Ló Mecânico; depois me especializei em administração de empresas. Aos 23 anos, passei a prestar consultoria administrativa em um empresa no comércio local, daí em diante passei a me dedicar a gestão e administração de empresas.

Hoje sou casado com Katiane Moreira Guimarães Rodrigues e temos uma linda filha: Hadassa Emanuele Guimarães Rodrigues. Além disso, administro a empresa Moto Vip, presto consultoria a mais três empresas e sou sócio proprietário da Copy mais copiadora.  Esse sou eu, um cara que teve e que tem coragem para seguir em frente.

Em tempos de pandemia e de pré-campanha, Michel tem investido nas redes sociais

PL: O quê o motivou a ser pré-candidato a vereador por Lagarto e por que escolheu ir para a disputa pelo PSL?

 

MR: Por se tratar de uma cidade que não tem muita oportunidade para os jovens, sabemos que nosso subconsciente é ativado pelo sonho de um patriota, que é ser algo pelo município e comigo não foi diferente. Tenho o sonho de ser vereador por Lagarto, mas isso não para por aqui, porque pretendo mesmo seguir adiante galgando espaços ainda maiores.

Já a escolha do partido foi mais pelas oportunidade que me foram dadas, pois tive a oportunidade de estar inserido em grupos políticos, mas nunca me deram escolha ou menos condições de sair como pré-candidato. Sabemos que esses grupos só pensam em benefícios próprios, sempre deixando de lado todos aqueles que não mostram isso. “Todo grupo existe favoritismo”, mas aqui no PSL é diferente. Somos todos iguais, lutando pela uma política melhor.

PL: Em todas as eleições municipais fala-se que a Câmara Vereadores de Lagarto precisa de mudança. Parece que ela tem dificuldade em de fato representar os interesses da população. Você concorda com essa visão? Qual a sua avaliação sobre a atual legislatura municipal?

MR: Concordo. Sabemos que falta mais transferência para o povo, como também falta o envolvimento da população com o legislativo. Não tenho nada contra a nenhum vereador, mas sim aos atos de incoerência, principalmente com a população Lagartense.

PL: Como Michel Rodrigues pretende ser a mudança tão necessária e falada no parlamento municipal? Quais serão suas principais bandeiras e propostas?

MR: Pretendemos fazer algo muito diferente. Queremos mostrar que o legislativo tem realmente o poder de movimentar o município com leis e projetos que favorecem o povo lagartense.

E eu pretendo trabalhar especificamente nas áreas ligadas ao comércio local, ao esporte, a educação e a cultura, lembrando que não deixarei de lado as outras bandeiras. Se for projeto ou leis que favorecerem a população lagartense e para uma boa administração, sempre terá minha aprovação.

PL: A pandemia do novo coronavírus trouxe consigo grandes desafios para todos os segmentos sociais. Igrejas, academias e muitos estabelecimentos comerciais tiveram que ser fechados para conter o avanço da doença. No entanto, o senhor defende a retomada de tais atividades. Por quê?

MR: Defendo o povo que está aí na nossa cidade perdendo seus empregos, passando por dificuldades financeiras, desde o menor até os grandes empresários que estão sofrendo com esse fechamento. Sabemos que esse momento é muito ímpar em nossa sociedade, mas acredito que se todos tomarem as medidas corretas, podemos sim fazer a reabertura do comércio local, das igrejas e ministérios religiosos, que são fundamentais para a nossa saúde mental. Com eles, podemos ajudar os jovens em relação aos vícios, mas com essa classe fechada, deixamos de ajuda-los com palavras de motivação e transformação espiritual e de não desistência.

Já parou pra pensar na mãe de família ou pai, quando chega em casa, que fala para o seu cônjuge que perdeu o seu ganha pão, com dois filhos em casa e com a dispensa vazia? Imagine o estado mental dessa pessoa sem saber o que fazer. Agora se você estivesse com alguém ou com pessoas pra ajudar e aconselhar…

PL: Voltando as eleições. Em 2019, surgiu um movimento nas redes sociais informando que ‘O liso vem ai’. Até ali, parecia que haveria uma aliança entre o PSL, o PV, o PTB e o Cidadania para o lançamento de uma candidatura majoritária única. No entanto, os dias se passaram e vimos que os partidos menores também se dividiram. O que houve? Por que é tão difícil uma união entre os partidos considerados pequenos em Lagarto?

MR: Primeiro a questão do “liso” foi uma brincadeira entre nós: o capitão William, eu e Deninho de marcarão. Isso foi pra ver e movimentar as redes se colava. Mas os partidos pequenos ainda estão unidos, só o Cidadania que não está mais, mas isso não que dizer que não podemos voltar. Porém, isso fica a cabo da votação de todos que fazem parte do nosso agrupamento que todos acham que é pequeno.

Mas, no momento, a maior dificuldade é achar pessoas que verdadeiramente olhem para o povo e não para os benefícios próprios.

MR: Diante desta divisão, como o PSL está organizado para as eleições 2020? Qual a expectativa da sigla em relação à eleição para vereador e prefeito de Lagarto?

MR: O PSL está muito bem organizado e não houve divisão, apenas o Cidadania que não está mais com a gente. Hoje, o PSL vem com a pré-candidatura do Dr. Kércio Pinto para majoritária de Lagarto. Ele é um homem integro, com um currículo altamente capaz de comandar e administrar a cidade com maestria. Além disso, estamos mais fortes do que nunca, pois ainda temos aliados como PV, PTB, PROS e PATRIOTA, sem esquecer várias pessoas que estão contribuindo como Viny e toda a sua equipe.

PL: Fique a vontade para as suas colocações finais.

MR: Quero agradecer primeiramente a Deus pela oportunidade e a vocês que me deram esse espaço para poder mostrar um pouco da minha história de vida. Finalizo apenas dizendo uma frase que carrego comigo: “Quer mudar o ambiente que vive, permita-se mudar primeiro, a mudança vem de dentro para fora”, o que eu quero dizer com isso é que esse ano todos temos a oportunidade de fazer a mudança. Então mude o que está dentro para que o seu redor venha ser mudado.

Que Jesus Cristo abençoe a todos!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here