Atender usuários portadores de complicações de exposição óssea através de procedimentos cirúrgicos complexos e especializados.  Esse é o objetivo da equipe de ortopedistas do Hospital Universitário de Lagarto (HUL-UFS/Ebserh) que realizou recentemente um procedimento de cobertura óssea em paciente politraumatizado por acidente de motocicleta. O usuário chegou à emergência apresentando fratura exposta na perna esquerda com perda importante de tecidos.

Iniciativa habilita unidade para o atendimento a usuários com complicações de exposição óssea.

O procedimento envolveu reposicionamento de fixador externo, desbridamento cirúrgico e limpeza e avivamento das bordas de pele, além de rotação de retalho muscular local e enxerto de pele parcial para cobertura de retalhos. De acordo com a equipe médica, o tratamento da exposição óssea com retalhos musculares locais (gastrocnêmio e sóleo) e enxertia de pele parcial possibilita a obtenção de resultados satisfatórios na cobertura das estruturas expostas, favorecendo a vascularização local e melhora da lesão inicial.

O procedimento foi realizado pelo médico cirurgião de mão e microcirurgia dr. Agnelo Júnior, juntamente com médicos residentes do Programa de Ortopedia e Traumatologia do HUL. Para o especialista, o procedimento realizado no HUL apresenta como vantagens a realização do tratamento em um só tempo cirúrgico, uma recuperação mais precoce e diminuição do tempo de internação.

“Importante iniciativa para resolução estagiada de um procedimento complexo para lesões graves de membros inferiores”, ressalta dr. Agnelo Júnior. “E assim poder atender pacientes com fraturas expostas e complicações de exposição óssea, gerando também conhecimento mais abrangente na ortopedia e residência médica do hospital”, observa.  

As fraturas expostas habitualmente ocorrem como resultado de um trauma direto de alta energia ocasionado por acidente automobilístico ou queda de altura. Em geral estão sujeitas a infecção e retardo de consolidação, que são os grandes problemas relacionados a esses casos, sendo ainda consideradas emergências ortopédicas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here