No Dia Nacional da Saúde, celebrado no último dia 5 de agosto, profissionais do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), unidade gerenciada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES, deram dicas de como cuidar dos idosos, das crianças e se prevenir em tempos de pandemia da Covid-19, além de cuidar da saúde. 

Os relatórios da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde (MS), apontam que alguns grupos e faixas da população são mais suscetíveis ou vulneráveis ao coronavírus, mas as recomendações de prevenção são universais, ou seja, as mesmas para qualquer idade e condição de saúde.

Embora as recomendações sejam para todos, a enfermeira do Núcleo de Epidemiologia, Segurança do Paciente e Infecção Hospitalar (NESPIH) do Huse, Elen Koga, ressaltou algumas recomendações direcionadas para o cuidado com a saúde de pessoas acima de 60 anos.

“É importante que os idosos estejam com as vacinas em dia principalmente a da gripe, lavar bem as mãos, reduzir as idas a hospitais para evitar contágio, controlar diabetes, hipertensão e outras doenças crônicas. Eles também devem evitar multidões, especialmente em lugares fechados. Para os cuidadores e familiares que costumam estar em contato com os idosos, vale ressaltar os cuidados com a higiene das mãos lavando-as com água e sabão, além de utilizar álcool 70% em gel várias vezes ao dia”, esclareceu a enfermeira.

Higienização

Já a infectologista do Huse, Manoela Santiago, reforça e orienta as pessoas sobre a importância da lavagem das mãos como uma alternativa eficaz na prevenção de infecções graves e da covid-19. Ela explica sobre a forma correta da lavagem e o uso do álcool 70% em gel.

Recomendações de prevenção são universais, ou seja, as mesmas para qualquer idade e condição de saúde.

“Nossas mãos são as maiores transportadoras de contaminação, o ideal na verdade era que a higienização em um ambiente onde circulam muitas pessoas já fosse uma rotina, mesmo sem o coronavírus, mas infelizmente é preciso acontecer uma disseminação como essa para tomarem consciência de que isso é necessário. Lavar as mãos com água e sabão pode substituir o álcool gel, o álcool gel é mais fácil porque muitas vezes a pessoa está na rua e pode ter a dificuldade de achar uma pia com água e sabão. Então, lavar as mãos sempre antes e depois que tiver contato com alguém é muito importante”, explicou a infectologista.

A atenção deve ser redobrada não só com a higienização das mãos, como também com a limpeza dos aparelhos celulares, além de cuidados diários de como agir ao voltar para casa seja da rua ou do trabalho.

Uma das medidas mais eficazes e mais recomendadas por especialistas para evitar a propagação do novo vírus é o isolamento social, o que nem sempre é possível cumprir. O enfermeiro e gerente da Área Verde Trauma, Andson Silva, ressalta uma questão importante quanto a forma correta para a higienização do aparelho celular.

Outro cuidado fundamental é de como proceder com a higienização dos objetos pessoais ao chegar em casa, seja vindo da rua ou do trabalho. O objetivo é reduzir o risco e se proteger o máximo que puder, evite tocar em qualquer utensílio sem antes se higienizar, tire os sapatos antes de entrar em casa, separe-os em um local para a limpeza com água, sabão e um pano úmido, tire a roupa e separe-as num saco plástico para a lavagem imediata.

Os acessórios como relógios, brincos, anéis e pulseiras devem ser evitados. Bolsas e pastas devem ser higienizadas com papéis absorventes ou panos descartáveis. Por fim, tomar um banho para que a limpeza do corpo seja completa.

É preciso tomar cuidado sobre como proceder com a higienização dos objetos pessoais ao chegar em casa, seja vindo da rua ou do trabalho.

Crianças

O isolamento social e a quarentena em meio a tentativa de contenção do novo vírus está causando estresse em muitos pais por causa da rotina diária com as crianças que também tiveram suas atividades externas canceladas.

O parquinho do condomínio está fechado, a área da piscina também, assim como o salão de jogos, brincar na casa do amiguinho, nem pensar. Com as crianças afastadas da escola e das atividades esportivas ou sociais, muitos pais estão se virando como podem para manter a criança ocupada com atividades saudáveis e em casa.

O psicólogo da Humanização do Huse, Dirceu Betti, explica que nessa fase, o diálogo e a paciência devem andar juntas. “É necessário dizer o que está acontecendo de forma que a criança entenda, mas, sem criar pânico. Tudo isso depende de como os pais estão encarando essa pandemia, se são ansiosos, hipocondríacos, depressivos, isso poderá afetar a criança porque os pais vão falar dentro da realidade psíquica deles. Tem que estar muito bem entendido para os pais, para que eles passem de forma tranquila para os filhos, porque a atitude deles no dia a dia, pode mostrar o contrário para os filhos”, enfatizou.

Outra questão é quanto a alimentação dos pequenos, o mal hábito de alimentação da infância pode ocasionar um problema sério de saúde na fase adulta. Para um crescimento bom e saudável da criança, muitos pais seguem à risca e com zelo cuidados para um bom crescimento e desenvolvimento dos filhos.

Mas, com a chegada da Covid-19, as crianças passaram a ficar mais tempo dentro de casa, algumas em atividades e outras nem tanto. A coordenadora da Pediatria do Huse, Cristiane Barreto, orienta aos pais como apostar na combinação mais saudável durante a pandemia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here